TRADUTOR/TRANSLATE

sábado, 31 de janeiro de 2015

Apartheid de gênero nas mesquitas

As paredes do apartheid de gênero nas mesquitas são o muro de Berlim do nosso mundo muçulmano, eles são um símbolo de uma ideologia ultrapassada que tem que ser desmantelada.

Apartheid de gênero, segundo a psicóloga feminista Phyllis Chesler, que define o fenômeno como: "práticas que condenam as meninas e mulheres a uma sub-existência separada e subordinada, e que transformam os meninos e homens em guardiães permanentes da castidade dos seus parentes do sexo feminino."

"Instâncias de apartheid de gênero não levam apenas à perda do poder social e econômico dos indivíduos, mas também pode resultar em danos físicos graves." Anthony Löwstedt, Apartheid – Ancient, Past, and Present: Systematic and Gross Human Rights Violations in Graeco-Roman Egypt, South Africa, and Israel/Palestine, sexta edição, 28 de junho, 2010, Viena.

**Mulheres não devem ficar na parte de trás,


**Mulheres não devem ser segregadas por conta de seu gênero,

**Mulheres não são inferiores aos homens,


**Mulheres são tão dignas quanto os homens e merecem respeito.





Nenhum comentário:

Postar um comentário