TRADUTOR/TRANSLATE

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

CASAMENTO INFANTIL ERA COMUM EM SOCIEDADES ANTIGAS???

Ao contrário do que todos pensam, casamento infantil não foi tão comum assim em sociedades antigas. Havia mesmo o contrato de casamento que era feito em tenra idade, e até mesmo algumas sociedades casaram suas crianças, mas temos que levar alguns pontos em consideração: 

O que levou algumas culturas a aceitarem o casamento infantil?

a) Era uma sociedade onde as meninas/mulheres tinham um status inferiorizado 
b) Existia o dote e a compra de noivas
c) Acontecia por motivos de migração forçada, perseguição e escravidão
d) Por medo, pobreza e pressões sociais 
e) Interpretações errôneas de fontes religiosas

Registros provando a idade certa dos noivos na época dos seus casamentos não passam de 600 anos, com uma exceção do Elefantina Papiros que é uma coleção de documentos datados do século 5 aC, encontrados na ilha de Elefantina no Rio Nilo. Na época um assentamento judaico chamado Yeb foi localizado lá com uma guarnição egípcia. Entre as várias cartas e contratos tinham três certidões de casamento, o mais antigo conhecido que sobreviveu, então, tudo mais não passa de mera especulação.

Minha avó, hoje com 91 anos, diz que nunca conheceu ou ouviu falar sobre casamentos infantis, ou com pessoas tão jovens.

Casamentos na antiga Esparta

Tal como acontece com a herança, a prática do casamento não é suficientemente bem documentado ou universal o suficiente para declarar uma prática específica entre todos os espartanos. No entanto, era uma prática geral os homens se casarem apenas a partir da idade de trinta anos, quando já estavam dispensados do serviço militar obrigatório. Ainda assim, alguns homens casados em seus vinte simplesmente se arrastaram para longe do quartel durante a noite para satisfazer as suas esposas. As mulheres se casavam mais tarde do que a maioria das outras sociedades gregas, geralmente no final da adolescência e início dos vinte anos.

Uma crença comum sobre o Renascimento é que as crianças, especialmente as meninas, se casavam jovens. Em algumas casas nobres casamentos eram, de fato, ((contratados)) em tenra idade, por razões de propriedade e de aliança com a família, mas eles consumavam o casamento bem mais tarde - aos vinte e poucos anos.

Estatísticas sobre o casamento indicam que a idade média para o casamento elisabetano e jacobino não foi bem como muitas pessoas imaginam. Dados obtidos a partir de datas de nascimentos das mulheres, e das certidões de casamento, revelam que as idade média para o casamento foi o seguinte:

1566-1619 27,0 anos

1647-1719 29,6 anos

1719-1779 26,8 anos

1770-1837 25,1 anos

Os homens se casavam, provavelmente, na mesma idade ou um pouco mais velho do que as mulheres. (Em 1619, as mulheres se casavam com mais ou menos 23 anos e os homens com 26) A idade do "consentimento" era em torno de 12 para uma menina e de 14 para um menino, mas a maioria das crianças entravam na puberdade dois ou três anos mais tarde do que hoje.

Curiosamente, houve um período, no final do século XVI, em torno da área de Stratford-on-Avon, em que a idade média para as mulheres se casarem, caiu tão baixo quanto 21 anos, a idade média dos casamento entre 1580-1589 foi de cerca de 20,6 anos, e foi nesta década que Shakespeare, com a idade de dezoito anos, casou-se com Anne Hathaway.

A razão para o casamento tardio entre os trabalhadores e a classe média era bastante simples: eles levavam muito tempo para adquirir bens suficientes para construir e manter uma casa, mesmo em um quarto da casa de seus pais. O amor jovem, porém romântico, teve que ser colocado em xeque se os dois amantes teriam que sobreviver em um mundo onde os ganhos de subsistência não iriam comprar um teto sobre suas cabeças e colocar comida na mesa. Filhos de  nascimento nobre corriam um grande risco se  tentassem se casar sem a aprovação de seus pais, uma vez que ficariam sem recursos. Talvez a cautela do jovem Claudio em Muito Barulho por Nada tem a ver com o medo de agir sem permissão: ele tem o cuidado de se certificar de que sua amada, Hero, é a única herdeira das propriedades de seu pai.

casamentos na Inglaterra e País de Gales (entre 1890-2011)

1893: Prince George, a princesa Mary (27 - 25)

1923: O príncipe Albert, Elizabeth Bowes (27 - 22)

1947: A princesa Elizabeth, Príncipe Philip (21 - 26)

1981: o príncipe Charles, Lady Diana (32 - 20)

2011: o príncipe William, Catherine (28-29)

* Noiva 22-29* Noivo 24-31

idade média para o primeiro casamento*

Nos tempos bíblicos, entre os filhos fiéis de Deus, o casamento era realizado para gerar descendentes. Além disso, o povo de Deus valorizava as crianças, na medida em que, dada a boa saúde física por parte de ambos futuros pais, as crianças normalmente eram inseridas no casamento tão cedo quanto nove meses após o casamento. 

Sob o judaísmo, os meninos poderiam se casar ou fazer votos religiosos com meninas de 14 anos de idade e aos 12 anos de idade, ambos, somente com a autorização dos pais; a autorização dos pais foi exigida até que ambos meninos e meninas estivessem com 21 anos de idade ( "Adult Era", McClintock e Strong Encyclopaedia)

Durante o primeiro século, no entanto, parece que os jovens, em regra geral, que estavam "de idade" poderiam organizar seus próprios casamentos. Uma menina foi considerada "de idade" com 12 anos e um dia. Os rabinos judeus definiam a idade mínima para o casamento com 12 anos para a menina, e 13 anos para o menino. Um menino certamente deveria se casar quando tivesse dezoito a vinte. Noivado é uma parte vital do casamento em tempos bíblicos. Uma vez que um jovem tinha escolhido sua futura noiva, e ela tinha consentido (se maior de idade), uma declaração formal das intenções conjugais era feito na presença de duas testemunhas. O período de noivado era fixado por lei. Para uma donzela, era de 10 meses a um ano; para uma viúva, três meses, era o tempo de um noivado até quando o casamento realmente ocorria, e a mulher já seria, realmente, casada. O noivado não pode ser dissolvido pelo divórcio, exceto; quebra de fidelidade no caso de adultério.

Casamentos de Crianças e adolescentes na Europa medieval

"As crianças na Idade Média se casavam em uma idade jovem. Meninas tão jovens quanto 12 anos se casavam, e meninos tão jovens quanto 17. O arranjo do casamento era baseado em valores monetários. (por causa de dinheiro, herança)

Casamentos de mulheres nobres e reais eram geralmente para a consideração política e dinástica. Então, com que idade uma jovem nobre contraia matrimônio? Na Itália, a média de idade para o casamento era de 17 anos; na França 16; e na Inglaterra e na Alemanha 18 anos foi a idade média - tudo para os primeiros casamentos. (Fonte: "As famílias medievais", de David Herlihy, Harvard University Press, 1985). No entanto, os exemplos seguintes são excepções: Bianca de Sabóia, duquesa de Milão foi casada aos 13 anos (1350), e estava com 14 anos quando ela deu à luz seu filho mais velho, Giangaleazzo (1351). Theodora Comnena tinha 13 anos quando se casou com o rei Balduíno III de Jerusalém (1158). Agnes da França tinha 12 anos quando, viúva, ela foi casada com Andrônico Comneno, imperador bizantino (1182). Santa Isabel de Portugal tinha 12 anos, quando ela se casou com D. Dinis de Portugal e deu à luz três filhos logo em seguida. Caterina Sforza estava prometida aos 9 anos, casou-se com 14 anos, e deu à luz aos 15 anos. Lucrezia Borgia estava casada com seu primeiro marido com 13 anos e teve um filho depois de poucos anos. Beatrice d'Este foi prometida em casamento aos 5 anos e se casou com 15 anos.

A prática do casamento precoce existia apenas entre membros da realeza e outras elites e não entre as classes médias ou baixas, "a lei da Igreja proibiu o casamento infantil e permitiu jovens noivas e noivos repudiarem o casamento, uma vez que atingiu a idade da puberdade, que foi oficialmente fixado em 12 para as meninas e 14 para meninos. Então, a idade mais comum para os jovens de médio ou baixo status se casarem era a partir da idade de 22 anos".

Casamento na Roma Antiga

A idade mínima para o casamento encontrava-se relacionada a puberdade (pubertas). No caso dos homens, esta idade estava fixada aos 14 anos e nas mulheres aos 12 anos. Na prática, era raro um homem casar antes dos 30 anos. No tocante às mulheres, procurava-se aguardar os 14, 15 anos. Era socialmente aceito o casamento de um homem com uma mulher com idade para ser sua filha ou neta; já o contrário não era tão bem visto.

Casar quando ainda não se tinha completado o processo de desenvolvimento físico implicou para muitas jovens romanas a morte prematura durante o parto ou em complicações a este associados. As mulheres das classes menos abastadas casavam em geral mais tarde, dado que não lhes era tão fácil arranjar o dote necessário. Os pais poderiam prometer os filhos em casamento aos 7 anos de idade.

Casamento infantil é uma praga perniciosa que precisa acabar.

2 comentários:

  1. Há muitas senhoras por ai que casaram aos 12 anos de idade. É comum casamento adolescente.
    Historicamente, mulheres casavam mais cedo porque não precisavam estudar tanto como hoje.
    Estudar adiou o casamento, mas aumentou a promiscuidade. Porque os jovens farão sexo casados ou não. Se vão fazer sexo, que é algo natural, que façam casados para não ficarem se expondo em aventuras sexuais clandestinas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não era tão comum, como os fatos mesmo expõem, principalmente entre os pobres que precisavam juntar algum para poder casar. O casamento não diminui promiscuidade, pessoas promiscuas mesmo casadas farão suas promiscuidades. Casamento infantil, como os FATOS também comprovam, nunca fizeram bem para a mulher, tirando raras exceções, exceção não faz regra.

      Excluir