TRADUTOR/TRANSLATE

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Deus muda de opinião? (revogação de versículos)

"Não revogamos nenhum versículo, nem fazemos com que seja esquecido (por ti), sem substituí-lo por outro melhor ou semelhante. Ignoras, acaso, a onipotência de Deus?" 2:106

Dependendo da tradução do Alcorão que está sendo lida o verso 2:106, como pode ser visto acima na tradução de PICKTHAL, pensamos que o Alcorão é sujeito a revogação, e, em alguns casos especiais, é ainda sujeito a versos sendo perdidos/esquecidos completamente!

Isso parece ser uma afirmação muito peculiar, especialmente quando o Todo-Poderoso tem afirmado repetidas vezes no mesmo livro que o Alcorão é completo, detalhado, não foge de suas palavras, não pode ser alterado, etc. 

6:115 "A palavra do teu Senhor já se têm cumprido fiel e justiceiramente, pois Suas palavras são imutáveis, porque Ele é o Oniouvinte, o Sapientíssimo."

O resultado de tal entendimento sobre revogação e versos sendo esquecidos não pode ser subestimado pois, as seitas têm usado essa interpretação para espalhar desinformação e distorção de vários conceitos/versos do Alcorão, na medida em que querem mudar as leis de Deus que nunca foram feitas para serem mudadas, como o exemplo do adultério, pela qual o Alcorão afirma, em 24:2, que para o adúltero e adúltera devem ser dadas 100 chicotadas em cada um, no entanto, usando as leis da revogação, as seitas decidiram que o apedrejamento é um castigo mais adequado se o adúltero é casado, e declararam em vários livros que um verso do Alcorão sobre o apedrejamento foi de fato revelado ao profeta, mas que esse verso foi destruído e, portanto, "esquecido" de ser adicionado ao Alcorão.

Parece que hoje os sectários têm manobrado seus antepassados, que não percebem que eles poderiam simplesmente substituir/ignorar os versos do Alcorão que não cumprem os seus desejos, e pedir ao Profeta para mudar os versos por ele mesmo:

"Mas, quando lhes são recitados os Nossos lúcidos versículos, aqueles que não esperam o comparecimento perante Nós dizem: Apresenta-nos outro Alcorão que não seja este, ou, por outra, modificado! Dize: Não me incumbe modificá-lo por minha própria vontade; atenho-me somente ao que me tem sido revelado, porque temo o castigo do dia aziago se desobedeço ao meu Senhor." 10:15

A verdade da questão é que o tema da revogação é um dos mais simples de esclarecer, simplesmente olhando com mais profundidade no verso envolvido:

2:106 "Nós não nansakh (revogamos?) Uma ayah (versículo?), Ou nunsiha (torná-mo-lo esquecido), a menos que forneçamos uma que é como ela ou ainda maior. Você não sabe que Deus é capaz de todas as coisas?"

1. naskh

A primeira palavra que nos deparamos no versículo acima mencionado é naskh que, ao examinarmos outros versículos do Alcorão, que usam a mesma palavra, o significado parece ser qualquer coisa, menos revogar:

43:80 "Pensam, acaso, que não ouvimos os seus colóquios, nem as suas confidências? Sim! Porque os Nossos mensageiros, entre eles, os registram. yansakhoon."

45:29 "Este é o Nosso registro, o qual depõe contra vós, porque anotávamos nastansikh tudo quanto fazíeis."

22:52 "Antes de ti, jamais enviamos mensageiro ou profeta algum, sem que Satanás o sugestionasse em sua predicação; porém, Deus duplicou  yansakh o que aventa Satanás, e então prescreve as Suas leis, porque Deus é Sapiente, Prudentíssimo."

7:154 "Quando a cólera de Moisés se apaziguou, ele recolheu as tábuas em cujas escrituras estavam gravadas  nuskhatiha a orientação e a misericórdia para os que temem ao seu Senhor."

Nos quatro versos acima, naskh pode significar: gravar ou duplicar - mas nunca revogar. Assim, olhando de novo para 2: 106, o significado muda drasticamente do que foi oferecido para nos por PICKTHAL.

2:106 Nós não nansakh (duplicamos) uma ayah (versículo?), Ou nunsiha (tornámo-la esquecida), sem substituí-la por uma que é como ela ou ainda maior. Você não sabe que Deus é capaz de todas as coisas?

2. Ayah

A segunda palavra-chave é ayah, que tradutores como PICKTHAL optaram por traduzir como revelação em 2: 106. Embora este significado de revelação é de fato correto, não é o único significado dado para ayah como podemos ver nos versos abaixo:

17:101 "e que tinha dado a Moisés nove sinais claros ayat. Então, pergunte aos Filhos de Israel quando ele veio para eles, então o Faraó disse: "Eu acho que você, Moisés está enfeitiçado!"

19:10 "Ele disse: "Meu Senhor, fazei de mim um sinal ayah Ele disse: "Teu sinal é que você não vai falar com as pessoas, por três noites consecutivas"

25:37 "E o povo de Noé, quando eles negaram os mensageiros, afogamos eles, e fizemos disso uma lição ayah para o povo. E temos preparado para os ímpios um doloroso castigo."

38:29 "Um livro que fizemos descer para você, que é abençoado, para que eles possam refletir sobre suas revelações ayat, e para aqueles que possuem inteligência, prestar atenção.'

Olhando para todos os possíveis significados acima, ha um significado que pode ser eliminado em 2:106 sem pensar muito, que seria "verso/revelação", como 2:106 nos diz que estas ayas poderiam ser esquecidas - a noção é de que não é possível que se trate do Alcorão pois, o livro foi revelado, gravado  e escrito durante a vida do Profeta. Além disso, as palavras "Nós substituímos por uma igual" não teria sentido se a palavra ayah neste versículo significasse um verso do Alcorão, simplesmente porque isso não faria sentido, Deus não invalidaria um verso para, em seguida, substituí-lo por um que é idêntico a ele!

No entanto, se a palavra ayah no versículo 2:106 significa um milagre, um exemplo ou um sinal, em seguida, todas as palavras do verso fariam todo o sentido para as palavras  "ser esquecido" ,então, pode aplicar-se a todos os três significados, e é o que realmente acontece com o passar do tempo. Os milagres de Moisés e Jesus foram esquecidos e só sabemos deles a partir das narrações do Alcorão.

Da mesma forma as palavras "Nós substituímos isso com seu igual ou com aquilo que é maior" está em linha com os milagres de Deus. Deus de fato substitui um milagre por outros iguais ou maiores do que estes. Considere o seguinte verso:

"E Nós enviamos com Moisés a Nossa ayah (milagres ou sinais) para o Faraó e seus anciãos proclamando:.." Eu sou um mensageiro do Senhor do universo. Quando lhes trouxemos a nossa ayah eles riram de cada ayah E nunca lhes mostramos prodígio algum que não fosse mais surpreendente do que o anterior, e surpreendemo-los com castigo, para que se voltassem contritos." 43:46-48

Por isso, quando re-examinanos o versículo 2:106 no contexto adequado, o versículo tem um significado perfeitamente lógico e harmonioso:

2:106 "Nós não duplicamos um sinal, ou tornámo-lo esquecido, a não ser que tragamos aquele que é como ele ou ainda maior. Você não sabe que Deus é capaz de todas as coisas?"

Segundo verso 16:101

"Quando nós baddalna (substituímos) uma ayat (revelação) no lugar de outra, e Deus é plenamente consciente do que Ele revela, eles dizem: "Só tu és dele o forjador! Porém, a maioria deles é insipiente."

A substituição falada aqui é:

a- A substituição de uma Escritura no lugar da outra.

Deste primeiro significado é dado provas no verso seguinte:

"Então nós revelamos a você esta passagem da Escritura, na verdade, o que confirma as escrituras anteriores, e substituindo-as." 05:48

Aqui, as palavras "substituindo-as" confirmam que as escrituras anteriores foram substituídas pelo Alcorão, pois as outras foram corrompidas, não que Deus muda de opinião, pois Ele é sábio, conhecedor de todas as coisas.

Além do tema da revogação, descobrimos que existem várias outras declarações que estão sendo ensinadas que não têm base e são desmentidas pelo próprio Alcorão:

Ensino Falso: Muhammed era analfabeto e tinha escribas para escrever o Alcorão para ele.

Verdade do Alcorão: O Alcorão foi escrito pelo próprio Muhammed

"E nunca recitaste livro algum antes deste, nem o transcreveste com a tua mão direita; caso contrário, os difamadores teriam duvidado." 29:48

"E afirmam: São fábulas dos primitivos que ele mandou escrever. São ditadas a ele, de manhã e à tarde!" 25:5

Ensino Falso: O alcorão não foi escrito na época do Profeta.

Verdade do Alcorão: O Alcorão Original existiu em um tábua

85:21 "Sim, este é um Alcorão Glorioso,"

85:22 "Inscrito em uma Tábua Preservada."

wa kaana 'amrul-laahi qadaram-maqduuraa.
 "E o comando de Allah é um Decreto Determinado." 33:38

Nenhum comentário:

Postar um comentário