TRADUTOR/TRANSLATE

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Poligamia - Para Mães de Órfãos apenas.

Fonte: Quranic_Path
Tradução: Pollyanna Meira

Em nenhum lugar no Alcorão é permitido casar com mais de uma mulher para a satisfação pessoal. O versículo sobre a poligamia é definido em um contexto claro > para o cuidado das crianças órfãs. Ele especifica a única razão por trás do casamento com mais de uma mulher:

Surata 4 - An-Nisa, Versos 1 ao 4

"Ó humanos, temei a vosso Senhor, que vos criou de um só ser, do qual criou a sua companheira e, de ambos, fez descender inumeráveis homens e mulheres. Temei a Deus, em nome do Qual exigis os vossos direitos mútuos e reverenciai os laços de parentesco, porque Deus é vosso Observador."(4:1)

"Concedei aos órfãos os seus patrimônios; não lhes substituais o bom pelo mau, nem absorvais os seus bens com os vossos, porque isso é um grave delito." (4:2)

"Se temerdes ser injustos no trato com os órfãos, podereis desposar duas, três ou quatro das que vos aprouver, entre as mulheres. Mas, se temerdes não poder ser equitativos para com elas, casai, então, com uma só, ou conformai-vos com o que tendes à mão. Isso é o mais adequado, para evitar que cometais injustiças." (4:3)

Em primeiro lugar, o verso sobre a "poligamia" é claramente incorporado no contexto de cuidar dos órfãos. Onde 4:03 é o "versículo da poligamia", a questão das crianças órfãs começa a partir de 04:02. 

Em segundo lugar, na leitura de 4:3, notamos que o verso começa colocando uma condição clara: "Se você tem medo de não conseguir ser justo/equitativo para os órfãos, e depois casar ...". A palavra sublinhada -então- é a tradução para a palavra "fa/ف". Este termo usado para significar, "nesse caso/assim/então" está conectando as duas partes de se casar com mais de uma mulher, para ser mais equitativo aos órfãos, de uma forma condicional. Mesmo para um leitor não-treinado, é muito óbvio perceber que Deus está dizendo aqui que o verso permiti um outro casamento só para ser mais "justo/equitativo" com as crianças órfãs, em outras palavras, para cuidar melhor das crianças órfãs. As crianças órfãs que perderam o seu pai precisam de cuidados quando sua mãe, viúva, não é capaz de fornecer para eles. Como poderíamos resolver o problema de indefesas crianças órfãs que estão precisando (por exemplo, de comida e abrigo)? Claro, é pelo casamento com a mãe viúva, a quem os órfãos pertencem - que também está na necessidade de disposição ou na necessidade de alguém que a ajude com as crianças.

A discussão sobre os órfãos e os seus cuidados continua bem na Surata An-Nisa enfatizando, ainda, que o casamento com mais de uma mulher só é permitido em um caso exclusivo que é declarado muito explicitamente dentro do próprio versículo. Os próximos versículos seguintes ao versículo da poligamia -4:3, são mostrados abaixo para informação dos leitores :

"Concedei os dotes que pertencem às mulheres e, se for da vontade delas conceder-vos algo, desfrutai-o com bom proveito." (4:4)

"Não entregueis aos néscios o vosso patrimônio, cujo manejo Deus vos confiou, mas mantende-os, vesti-os e tratai-os humanamente, dirigindo-vos a eles com benevolência." (4:5)

"Custodiai os órfãos, até que cheguem a idades nubeis. Se porventura observardes amadurecimento neles, entregai-lhes,então, os patrimônios; porém, abstende-vos de consumi-los desperdiçada e apressadamente, (temendo) que alcancem a maioridade. Quem for rico, que se abstenha de usá-los; mas, quem for pobre, que disponha deles com moderação." (4:6)

E o Alcorão continua a abordar o cuidado com os órfãos e proteção. É impressionante o quanto Allah enfatiza a proteção dessas crianças.

Os homens crentes se casam apenas uma vez por Padrão

Do ponto do Alcorão, os homens crentes devem se casar apenas uma vez como uma prática normal. Sabemos que isso é devido a algumas razões. Uma delas é que Deus declara:

"Case aqueles que são solteiros entre vocês, incluindo os justos de seus servos e servas." (Alcorão 24:32)

A poligamia envolve o casamento com um homem e mais de uma mulher, por isso é uma exceção apenas no interesse de cuidar dos órfãos (casar com suas mães). Além disso, o casamento é encorajado no Alcorão, e se casar apenas uma vez é o que é esperado '(mulheres solteiras)' cumpre isso. No entanto, o que está em 4:3, é indicado em condições excepcionais: em termos de cuidar das crianças órfãs (e suas mães).

Note também que em 4:3, Deus tem declarado explicitamente que os homens crentes só devem se casar com uma mulher e que é melhor assim: "Se temerdes ser injustos no trato com os órfãos, podereis desposar duas, três ou quatro das que vos aprouver, entre as mulheres. Mas, se temerdes não poder ser eqüitativo para com elas, casai, então, com uma só, ou conformai-vos com o que tendes à mão. Isso é o mais adequado, para evitar que cometais injustiças." (4:3)

Assim, um único casamento é o indicado como a norma. O casamento com uma viúva (no interesse de cuidar dos órfãos) é a exceção que este versículo está fazendo.

Compreendendo "se você tem medo de não conseguir ser equitativo/ justo, então case-se apenas com uma".

O versículo diz "فان خفتم الا تعدلوا فواحدة / se você tem medo de não conseguir ser equitativo/justo, então case-se com uma. Assim, uma condição claramente definida no verso, é a questão da equidade e justiça entre a esposa existente e o subsequente casamento com mães de crianças órfãs. Precisamos prestar atenção especial aqui devido ao que muitos tradicionalistas alegaram em suas literaturas. Para os tradicionalistas a poligamia nada mais é que desejo/satisfação pessoal, eles tentam impor uma compreensão muito superficial e tendenciosa do que constitui "justo/equitativo" no verso. Eles afirmam que, enquanto um homem pode fornecer alimentação, habitação, vestuário (ou seja, disposições materiais) por quantidades iguais para todas as esposas, ele está sendo equitativo e justo. Eles dizem que, nesse caso, ele está cumprindo a exigência do verso e pode se casar mais de uma vez com até quatro. Assim eles passaram "fatwas" (vereditos), onde afirmam que a "permissão" da primeira mulher não é necessária para o marido se casar com outras mulheres. Em outras palavras, mesmo contra a felicidade da primeira esposa, o marido pode se casar novamente. Muitos desses tradicionalistas chamados muçulmanos fizeram exatamente isso e se comprovou a depressão em suas primeiras esposas.

Esta é uma compreensão com falta de sabedoria e conhecimento. Porque ser 'equitativo' e 'justo' não diz respeito apenas ao fornecimento de coisas materiais, também é sobre ser justo para alguém emocionalmente. Se tomarmos duas pessoas e emocionalmente torturarmos uma, então, isso é ser injusto -  considerar simplesmente a provisão de coisas materiais de igual nível, para fazer parte da igualdade é pura ignorância - é também sobre o que você está fazendo para alguém no interior.

Assim, se a primeira esposa é contra a ideia do marido se casar uma segunda vez (mesmo para cuidar de crianças órfãs, e uma viúva), então seu desejo deve ser respeitado em conformidade com o verso ( "se você tem medo de não conseguir ser equitativo/justo, então .. uma "). Se o marido se casar contra a vontade da esposa, então, ele está emocionalmente machucando sua primeira esposa (e está sendo "injusto"), violando assim o verso. Se sua esposa primeira esposa está irritada e chateada, então, isso não é ser "justo" ou "equitativo" entre as duas desde o princípio uma será  feliz e a outra ficará com raiva e chateada.

Tal derivação superficial e irrefletida dos versos do Alcorão por esses tradicionalistas retratam um elemento preocupante em suas próprias relações conjugais - Uma vez que vemos que em suas interpretações e considerações sobre as emoções do ser humano; os sentimentos e pensamentos da esposa são completamente esquecidos e negligenciados, e uma interpretação sem emoção é espalhada, beneficiando apenas a eles mesmos. O raciocínio para isso é como foi dito, o motivo preconcebido de justificar o casamento com mais mulheres para satisfação pessoal ou sexual e, a ideia do papel das mulheres como uma obediente ferramenta sexual para homens 'hiper-sexualizados' é amplamente difundida através de fontes extra-corânicas em nome da religião, e não é baseada no deen do Alcorão. No Alcorão, o relacionamento entre marido e mulher é afirmado nos termos seguintes: 

"Entre os Seus sinais está o de haver-vos criado companheiras da vossa mesma espécie, para que com elas convivais; e colocou amor e piedade entre vós. Por certo que nisto há sinais para os sensatos." (30:21)

É claro que não há carinho, nem misericórdia em um marido que ignora os sentimentos e pensamentos de sua primeira mulher.

Compreensão do "... casar quando permissível para você / فانكحوا ما طاب لكم"

Allah proibiu o casamento entre membros próximos relativos:

"Está-vos vedado casar com: vossas mães, vossas filhas, vossas irmãs, vossas tias paternas e maternas, vossas sobrinhas,vossas nutrizes, vossas irmãs de leite, vossas sogras, vossas enteadas, as que estão sob vossa tutela - filhas das mulheres com quem tenhais coabitado; porém, se não houverdes tido relações com elas, não sereis recriminados por desposá-las. Também vos está vedado casar com as vossas noras, esposas dos vossos filhos carnais, bem como unir-vos, em matrimônio, com duas irmãs - salvo fato consumado (anteriormente) -; sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo." (4:23)

Então, quando Deus diz em 4:3: 

"Se você tem medo de não conseguir ser justo/equitativo para os órfãos, então case quando permissível para você (انكحوا ما طاب لكم), com as mulheres, duas, três ou quatro." (4:4) 

"Case-se quando for admissível para você / فانكحوا ما طاب لكم" está se referindo a restrições impostas a quem o casamento é permitido em 04:23. Estas restrições aplicam-se ainda, mesmo no caso de uma mulher viúva na necessidade de provisão para seus filhos. Pode ser que um crente não pode se casar com uma viúva ou não queira, por qualquer motivo. É importante ter em mente, como crentes, que  ser caridoso e cuidar dos crentes necessitados, foram mostrados como sendo um atributo claro daqueles que amam a Deus e seguem o Alcorão.

A maior parte dos chamados muçulmanos simplesmente não olham para o Alcorão e apenas vão junto com os outros ou com o que ouviram ou leram em livros didáticos sobre o Alcorão. Ao estudar os versos reais, temos notado pontos marcantes, que foram deliberadamente escondidos dos muçulmanos pelo clero.

Em conclusão, o seguinte é deduzido a partir do Alcorão: 

1) O casamento com mais de uma mulher não é para satisfação pessoal ou sexual. É permitido apenas para mães de crianças órfãs no interesse de cuidar de crianças órfãs, que de outra forma, não teriam disposições básicas, tais como alimentação, moradia, etc.

2) Mesmo que seja para o interesse de cuidar de crianças órfãs, a felicidade da primeira esposa e opinião dela tem prioridade e o marido crente não vai se casar com uma viúva contra  vontade/felicidade da primeira esposa. 

3) Apesar das mães das crianças órfãs estarem necessitadas de cuidado e/ou proteção, "case quando permissível para você / فانكحوا ما طاب لكم" está se referindo apenas as tais mulheres viúvas que são admissíveis para o casamento.

"Será dito aos tementes: Que revelou o vosso Senhor? Dirão: O melhor! Para os benfeitores, neste mundo, há uma recompensa; porém, a da outra vida é preferível. Que magnífica é a morada dos tementes!" 16:30




Nenhum comentário:

Postar um comentário