TRADUTOR/TRANSLATE

sábado, 7 de fevereiro de 2015

A reforma do Pensamento Islâmico é a necessidade do presente.

Há muito tempo que as tradições humanas têm obscurecido a mensagem pristina do Alcorão. Como resultado, vemos as violações dos direitos humanos e o extremismo em escala global. Se os muçulmanos voltarem para o Alcorão, como a principal fonte das crenças islâmicas, o renascimento islâmico será inevitável.
1) Defenda os direitos humanos: Não existem duas perspectivas sobre isso, na verdade, o mundo muçulmano está repleto de crises sobre os direitos humanos. Os não-muçulmanos muitas vezes criticam os muçulmanos por ficarem em silêncio diante das violações dos direitos humanos. Devemos destacar os ensinamentos islâmicos sobre a Fraternidade Universal, Direitos Humanos, Potencial Humano, e, inequivocamente, denunciarmos as violações dos direitos humanos na sua fonte, não apenas superficialmente. Francamente, os não-muçulmanos não se importam com o que você ou eu, pessoalmente, sentimos sobre o apedrejamento, as leis sobre a blasfêmia, o casamento infantil, etc. Eles querem saber por que as escrituras "islâmicas" (parecem) apoiar violações dos direitos humanos. Se não corrigirmos as fabricações e as más interpretações por nós mesmos, os adversários do islã ficarão mais do que felizes em nos desafiar com isso.
2) Denuncie fortemente o terrorismo e o extremismo: Não há absolutamente nenhum espaço no islã para a compulsão na religião, o ódio pela filosofia, ou o assassinato de inocentes por indivíduos ou governos.
3) Enfatize o DEEN do islã sobre a religião: A essência do islã é estabelecer a sociedade ideal, em que a justiça e as oportunidades são fornecidas a todos os cidadãos para realizarem seus potenciais. Essa é a mensagem que deve ser mantida na vanguarda. Certamente, a espiritualidade e os rituais são partes integrantes do islã, no entanto, eles estão ao serviço do caráter e da construção da comunidade para apoiar a sociedade. Por isso, "religião" é uma pequena parte do DEEN ("o caminho de vida").
4) Use o Alcorão como um livro de orientação, não um livro de magia: O Alcorão é destinado à compreensão e aplicação, e não para recitações vazias, cantos e repetições. Em nenhum lugar do Alcorão está escrito que simplesmente ao repetir, soprar versos ao vento, ou cantá-los, isso vai nos levar a resultados sociais concretos. Caso contrário, estariam todos muito bem de vida em lugares como Paquistão, Egito e Iraque.
5) Desafie as fabricações e as más interpretações: o único livro infalível de Deus é o Alcorão. As narrações e histórias que a) contradizem o Alcorão, b) difamam o caráter dos Mensageiros de Deus, c) promovem a violência ou a intolerância, d) violam os direitos humanos, ou E) são imorais, devem ser absolutamente rejeitados (sem exceções). Além disso, os relatos que são contraditórios com a ciência estabelecida e o bom senso devem ser desafiados com a Razão.
6) Promova a ijtihad (pensamento criativo) sobre a taqlid (tradição): Em nenhum lugar o Alcorão afirma que os imams/estudiosos irão surgir séculos depois do Profeta (S) e tornar-se-ão autoridades finais de interpretação e jurisprudência. Muito pelo contrário, o Alcorão adverte contra seguir antepassados sem a devida investigação, e estabelece uma conexão entre obediência cega e a opressão. Desafie as noções prevalecentes, e espere mais dos seus imams e acadêmicos.
7) Desenvolva a tolerância, a aceitação e o respeito mútuo: Estes são os traços do caráter do Profeta Muhammad (S). Incentive as pessoas a analisarem as provas oferecidas por outros ao invés de atacarem quem pensa diferente. Se não podemos respeitar as opiniões e a liberdade de expressão entre nós, como vamos lidar com as pessoas de outras religiões? Destacamos também os direitos dos não-muçulmanos, como mencionado no Alcorão.
8) Reconheça o direito individual: Este século está assistindo uma batalha pela alma do islã. Eu acredito que o renascimento do islã não ocorrerá nas mesquitas, ou até mesmo em países de maioria muçulmana. Em vez disso, os intelectuais que vivem em sociedades livres, que colocam o Alcorão acima das tradições humanas, serão a vanguarda da reforma. Todos nós devemos fazer a nossa parte para trazer a mensagem pura do islã à luz, mesmo no menor dos ajuntamentos.
Fawad Ahmed
Tradução Pollyanna Meira



Nenhum comentário:

Postar um comentário