TRADUTOR/TRANSLATE

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Abuso dos versículos do Alcorão


Muitos versículos do Alcorão têm sido distorcido ou colocado fora de contexto, para promover os volumes de fabricações de rumores. Aqui estão os mais frequentes abusos dos versos corânicos: 

• O Alcorão nos instrui a seguir o mensageiro (4:59); portanto, devemos seguir Bukhari, Muslim, Tirmizi, Ibn Hanbal, Ibn Maja, Abu Dawud, KAFI'S Story, Nahj al-Balaga, e muitos outros livros. 


• O Alcorão nos informa que o mensageiro explica o Alcorão usando o próprio Alcorão (16:44); portanto, devemos seguir Bukhari, Muslim, Tirmizi, Ibn Hanbal, Ibn Maja, Abu Dawud, KAFI, Nahj al-Balaga, e muitos outros livros. 


• O Alcorão nos informa que o mensageiro não fala sozinho (53:3-4); portanto, devemos seguir Bukhari, Muslim, Tirmizi, Ibn Hanbal, Ibn Maja, Abu Dawud, KAFI, Nahj al-Balaga, e muitos outros livros. 


• O Alcorão nos aconselha a aceitar o que o mensageiro nos dá, e abstermo-nos do que ele nos proibiu (59:7); portanto, devemos seguir Bukhari, Muslim, Tirmizi, Ibn Hanbal, Ibn Maja, Abu Dawud, KAFI, Nahj al-Balaga, e muitos outros livros. 


• O Alcorão nos avisa para não colocarmos a nossa opinião antes da do mensageiro (49:1). Assim, devemos seguir Bukhari, Muslim, Tirmizi, Ibn Hanbal, Ibn Maja, Abu Dawud, KAFI, Nahj al-Balaga, e muitos outros livros. 


• O Alcorão nos diz que o mensageiro de Deus é um bom exemplo, (IS 33:21), então, devemos seguir Bukhari, Muslim, Tirmizi, Ibn Hanbal, Ibn Maja, Abu Dawud, KAFI, Nahj al-Balaga, e muitos outros livros. 


Um leitor atento nota que os versículos mencionados acima foram submetidos a uma engenhosa distorção e abuso, transformaram Muhammad de mensageiro de Deus, correio de Deus, numa outra autoridade além de Deus, talvez algum parceiro de Deus na criação de Seu sistema. Eles não apenas transformaram o sistema do Islão, de rendição pacifica à uma religião concebida por múltiplos parceiros, como também promoveram várias fontes de rumores recolhidos séculos após Muhammad, de acordo com as suas preferências sectárias e tribais. 


Aqui, por exemplo, vamos discutir brevemente um dos versículos frequentemente citados, "tendes no Mensageiro de Deus um excelente exemplo" (33:21). Aqueles que desejam produzir volumes de livros de hadith a partir deste versículo ignoram o fato de que uma declaração semelhante também é feita a Abraão: "Tivestes um excelente exemplo em Abraão e naqueles que o seguiram" (60:4,6). Se o versículo 33:21 requer o hadith de Muhammad, então por que razão os versículos 60:4,6 não exigem um hadith de Abraão? Que livros narram hadiths de Abraão? Obviamente, a única fonte confiável para ambos os exemplos é o livro de Deus, que narra as ações exemplares e relevantes. Ele também nos adverte para não repetirmos os erros cometidos por Muhammad (33:37; 80: 1-10 ). 


Vamos brevemente discutir o segundo exemplo para ver melhor a natureza do abuso, e como milhares de coelhos de hadith são produzidos a partir de chapéus vazios. Uma das instruções corânicas mais frequentemente citada é "obedecer a Deus e seu mensageiro" (4:59). Obedecer Bukhari, um narrador de rumores, não é obedecer ao mensageiro. Obedecer ao mensageiro está em obedecer ao completo, perfeito e totalmente detalhado Alcorão. 


Versículo 25:73 descreve a atitude daqueles que procuram a verdade com as revelações de Deus. Mas os seguidores do hadith e sunhah são muito bons em ignorá-los. 


Não conseguem ver os versículos 6:19, 7:3 e 50:45, que dizem que o único ensinamento entregue pelo mensageiro de Deus foi o Alcorão. Eles não pensam que Muhammad praticou somente o Alcorão (5:48, 49). 


Eles não ouviram a única queixa de Muhammad sobre o seu povo (25:30). Eles não entendem que o Profeta nega aqueles que não compreendem que o Alcorão é suficiente e totalmente detalhado (6:114). 


O primeiro versículo do capítulo 9 é um ultimato emitido por Deus e seu mensageiro. Os muçulmanos reconhecem que versos sobre o ultimato são inteiramente de Deus. Deus não consultou Muhammad sobre o ultimato. A única missão de Muhammad foi entregar a mensagem de Deus (16:35; 24:54).


Assim, a razão porque Deus incluiu o mensageiro em 9:1, não é porque ele foi outra autoridade na emissão, mas porque ele participou como o emissário do ultimato. Da mesma forma que as pessoas recebem a mensagem de Deus por mensageiros, somos ordenados a obedecer aos mensageiros. Sabemos também que o Alcorão é um mensageiro permanente (65:11), e o Alcorão é um lembrete e um portador de boas novas (41:4; 11:2).


Edip Yuksel
Tradução Pollyanna Meira

Nenhum comentário:

Postar um comentário