TRADUTOR/TRANSLATE

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

PATRIARCADO

"Infelizmente, um número muito grande de homens muçulmanos, e de mulheres também, falham em reconhecer as muitas maneiras que o patriarcado é uma ofensa contra a moralidade e o islam.

Muitos muçulmanos e não muçulmanos não estão suficientemente sensibilizados para o fato de que o patriarcado é despotismo e que isso é uma condição moralmente ofensiva. Como em uma instituição, o patriarcado se alimenta da erradicação do organismo moral da mulher; ele apaga e marginaliza as mulheres, e mais significante, nega a possibilidade da verdadeira entrega a Deus.

Da mesma forma, um número excessivo de muçulmanos deixam de refletir sobre a extensão em que o patriarcado explora os instrumentos das autoridades das religiões, o que acaba deslocando a autoridade de Deus completamente [..] Muitas vezes o apagamento é proposital e sinistro, como quando ele é o resultado da animosidade dolosa das mulheres, mas o que é mais desafiador e também endêmico é quando o apagamento é sútil, discreto e quase imperceptível pois, é o resultado da ambivalência moral, ou um ato bem fortificado de auto-engano. Afinal de contas, o que poderia ser mais potente e perigoso do que a capacidade aparentemente infinita dos seres humanos quando acreditam, erroneamente, que estando apagados estão na verdade sendo afirmados, que os oprimidos estão na verdade em processo de libertação, que os marginalizados estão abrigados e protegidos, e que, em última análise, eles gostam disto dessa maneira?"

Amina Wadud



Nenhum comentário:

Postar um comentário