TRADUTOR/TRANSLATE

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Primeira mulher a liderar as orações das sextas no Reino Unido

Uma escritora canadense, se tornou a primeira mulher, nascida muçulmana, a liderar uma congregação britânica mista em termos de gênero em uma oração da sexta-feira, em um movimento altamente controverso que vai tentar acender um debate sobre o papel da liderança feminina dentro do Islã.

Raheel Raza, ativista e autora com sede em Toronto, foi convidada para liderar as orações e entregar a khutbah em uma pequena sessão de oração em Oxford.

Ela foi convidada pelo Dr. Taj Hargey, um imam que prega uma interpretação ultra-liberal do Islã, que inclui, entre outras coisas, que homens e mulheres devem ser autorizados a rezarem juntos e que as imanes devem levar congregações mistas em orações.

Três das quatro escolas regulares do Islã sunita permitem que as mulheres liderem congregações exclusivamente femininas para a oração, mas a esmagadora maioria dos juristas muçulmanos se opõem às congregações mistas fora de casa.

Raza, 60, é parte de um pequeno, mas crescente grupo de feministas muçulmanas, que tentam desafiar a mentalidade que tem tradicionalmente excluído as mulheres de papéis de liderança dentro das mesquitas. Elas argumentam que em nenhum lugar do Alcorão as imanes são proibidas. Em vez disso, os estudiosos contam com os hadiths (as palavras e ditos do Profeta Muhammed) para excluir as mulheres - embora as feministas muçulmanas e alguns estudiosos progressistas argumentam que, mesmo estes não são claros o suficiente para dizer, com confiança, que as mulheres estão totalmente proibidas.

 Raza recebeu ameaças de morte depois de liderar uma congregação mista em oração em Toronto há cinco anos.

"Foi uma experiência muito profunda", disse Raza, em uma conversa por telefone de sua casa em Toronto. "Não se trata de assumir o cargo de um imam. É sobre lembrar a comunidade muçulmana que 50 por cento dos seus adeptos são mulheres e que somos iguais aos homens em deveres e obrigações. As mulheres são igualmente atentas, praticantes e merecem ser ouvidas."

A aparição de Raza em Oxford é a repetição de uma sessão de oração semelhante em 2008, que foi liderada por Amina Wadud, uma convertida norte-americana e feminista. Mas esta é a primeira vez que uma mulher, nascida muçulmana, vai levar uma oração com homens e mulheres juntos na Grã-Bretanha.

As orações de Wadud foram atendidas por uma pequena congregação de menos de 40, que foram vaiados em seu caminho para as orações pelos manifestantes, em grande parte por mulheres muçulmanas totalmente veladas. Uma vez dentro da sala de oração eles foram amplamente superados em número pelos jornalistas.

Mas o Dr. Hargey, uma figura divisiva dentro do Islã britânico, que dirige o Centro Educacional muçulmano de Oxford, disse que sua congregação tem crescido e tem atraído novos seguidores.

"Para as orações da sexta agora recebemos cerca de 100 pessoas, o dobro do Eid e ocasiões importantes", disse ele. "Eu estou esperando cerca de 200 pessoas para assistir as orações da próxima sexta-feira."




Nenhum comentário:

Postar um comentário