TRADUTOR/TRANSLATE

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

O Testemunho de 2 Mulheres Vale O De 1 Homem?

Fonte: Quranic Path
Tradução: Pollyanna Meira

"Ó fiéis, quando contrairdes uma dívida por tempo fixo, documentai-a; e que um escriba, na vossa presença, ponha-a fielmente por escrito; que nenhum escriba se negue a escrever, como Deus lhe ensinou. Que o devedor dite, e que tema a Deus, seu Senhor, e nada omita dele (o contrato). Porém, se o devedor for insensato, ou inapto, ou estiver incapacitado a ditar, que seu procurador dite fielmente, por ele. Chamai duas testemunhas masculinas de vossa preferência. Se dois homens não estiverem lá, chame um homem e duas mulheres, a fim de que, se uma delas desviar-se, a outra recordará. Que as testemunhas não se neguem, quando forem requisitadas. Não desdenheis documentar a dívida, seja pequena ou grande, até ao seu vencimento. Este proceder é o mais equitativo aos olhos de Deus, o mais válido para o testemunho e o mais adequado para evitar dúvidas. Tratando-se de comércio determinado, feito de mão em mão, não incorrereis em falta se não o documentardes. Apelai para testemunhas quando mercadejardes, e que o escriba e as testemunhas não sejam coagidas; se os coagirdes, cometereis delito. Temei a Deus e Ele vos instruirá, porque é Onisciente." 2:282

O erro cometido por muitos tradutores está em traduzir أَنْ تَضِلَّ إِحْدَاهُمَا فَتُذَكِّرَ إِحْدَاهُمَا الأُخْرَى /  se uma delas desviar-se, a outra recordará 
Comumente " تَضِلَّ "  desviar / desvio está traduzido como "esquecer" (ou cometer um "erro"), e " تُذَكِّرَ "  como sendo lembrado de um esquecimento.

Por exemplo, na famosa tradução de PICKTHAL está:

"... porque, se uma errar (por esquecimento) a outra vai se recordar."

Exemplos de outros traduções erradas estão como se segue:

[Yusuf Ali] "Assim que, se uma delas erra, a outra poderá lembrá-la."

[George Venda] "Se uma dessas mulheres se confundirem, a outra fará com que ela se lembre."

[Arberry] "Assim que, se uma das mulheres esquece tudo a outra pode lembrá-la."

Quando analisamos a escrita árabe do Alcorão, parece que essas traduções estão incorretas e isso não é o que Deus realmente afirma.

A Palavra " تَضِلَّ " a partir da raiz "ضل" (Dhalla) significa "desviar-se, a  'enganar-se'. No Alcorão é sempre usada neste sentido em suas várias formas verbais e nominais:

1:7 "À senda dos que agraciaste, não à dos abominados, nem à dos extraviados. (الضَّالِّين)" 

2:26 "Deus não Se furta em exemplificar com um insignificante mosquito ou com algo maior ou menor do que ele. E os fiéis sabem que esta é a verdade emanada de seu Senhor. Quanto aos incrédulos, asseveram: Que quererá significar Deus com tal exemplo? Com isso desvia (يُضِلُّ) muitos e encaminha muitos outros. Mas, com isso, só desvia (يُضِلُّ) os depravados."

2:108 "Pretendeis interrogar o vosso Mensageiro, como anteriormente foi interrogado Moisés? (Sabei que) aquele que permuta a fé pela incredulidade desvia-se (ضَلَّ) da verdadeira senda."

Da mesma forma, no versículo 2: 282, refere-se a uma das mulheres que está sendo 'desviada', em vez de esquecer (ou cometer um "erro"). A palavra árabe para "esquecer" não é usada aqui. Pode ser encontrada em outras partes do Alcorão. Se o verso quis dizer, 'esquecer', o verbo raiz apropriado teria sido نسي (nasiya), não ضَلَّ  (Dhalla), como usado no verso seguinte:

18:57 "E haverá alguém mais iníquo do que quem, ao ser exortado com os versículos do seu Senhor, logo os desdenha, esquecendo-se (نسي) de tudo quanto tenha cometido? Em verdade, sigilamos as suas mentes para que não os compreendessem, e ensurdecemos os seus ouvidos; e ainda que os convides à orientação, jamais se encaminharão." 

45:33-35 "Então, aparecer-lhe-ão as maldades que tiverem cometido, e os envolverá aquilo de que escarneciam! E ser-lhes-á dito: Hoje vos esquecemos (نَنْسَا)  tal como vos esquecestes (نَسِيتُمْ) do comparecimento a este vosso dia! E a vossa morada será o fogo infernal, e jamais tereis socorredores. Isso, porque escarnecestes dos versículos de Deus e vos iludiu a vida terrena! Assim, nesse dia não lhes será permitido sair dele (o fogo), nem lhes será permitida apelação."

O que significa 'desviar-se'?

As transações financeiras, sempre foram ao longo da história dos negócios conduzidas por homens. O objetivo de ter transações anotadas em um acordo é para evitar atividades fraudulentas e garantir que as obrigações contratuais sejam atendidas. Quando os contratos não podem ser feitos por escrito, o  Alcorão exorta ter pessoas como testemunhas.

Os efeitos das testemunhas mostram que as testemunhas podem ser sujeitas a influências de uma ou mais das partes envolvidas no contrato em caso de testemunho.

"Nenhum dano deve ser feito a qualquer escriba ou testemunha,  se você causou-lhes dano, seria um crime de sua parte."

(Alcorão 2: 282)

Não apenas na Arábia do século 7 em que o Alcorão foi revelado - até recentemente na história, negócios e operações foram um campo dominado por homens - foi um tema mais relevante para os homens do que para as mulheres. Ainda hoje, na maior parte do mundo, as empresas encontram-se nas mãos de membros masculinos da família ou sociedade. (O que deve mudar é claro)

Influenciabilidade  e sugestibilidade  não acontece apenas com as mulheres, mas com ambos os sexos, isso é descrito como se segue:

"No passado, foi freqüentemente relatado em textos de psicologia social, por exemplo, que as mulheres são mais suscetíveis a influências de persuasão ou a sugestões do que os homens. Mais recentemente, no entanto, isto foi corrigido pela pesquisa demonstrando que influenciabilidade ou sugestionabilidade é afetada por uma variedade de fatores, incluindo se um tema é motivo de preocupação para um assunto, e o sexo do pesquisador em relação ao tema. Demonstrou-se, por exemplo, que as mulheres são mais sugestionáveis com um investigador masculino quando o assunto é socialmente definido como de interesse do sexo masculino, mas que os homens respondem de forma paralela, quando uma mulher pesquisadora tenta influenciá-los sobre um tema socialmente definido como interessante para as mulheres. o resultado desta pesquisa mais recente, que leva em conta fatores como o sexo do investigador, o contexto experimental, e os interesses e auto-definição dos temas, é que agora não existe qualquer fundamento para dizer que as mulheres são mais sugestionáveis ou influenciáveis do que os homens ".

Kourany, JA, Filosofia em uma voz feminista: Críticas e Reconstruções, pp 241.

Não está sendo dito que o Alcorão sugere que as mulheres sejam mais sugestionáveis ou influenciáveis que os homens, só que o gênero dominante e a relevância social do tema afeta homens e mulheres. Desde que o versículo em questão define um tema fortemente associado aos homens daquele contexto, a estipulação do verso do Corão sobre os requisitos de testemunhas é totalmente explicável, particularmente porque o Alcorão abrange sociedades hierarcas bem como, de muitas partes do mundo - particularmente no passado.

É possível para as mulheres tanto quanto para os homens desenvolver uma personalidade forte e imparcial?

É possível desenvolver uma forte resistência perceptiva e traços de caráter que permitiriam uma única pessoa, sendo irrelevante o gênero, neste caso, uma única testemunha do sexo feminino poderia estar presente. Mas o Alcorão foi revelado para ser compatível com um modelo genérico e mais amplo da sociedade e para a adequação durante um longo período, e não por um tempo selecionado ou para casos minoritários. 

" تُذَكِّرَ (tuzakkir)".

Esse verbo, significa também " admoestar / receber orientação" no Alcorão, em vez de simplesmente  "lembrar", por exemplo,

13:19 "Acaso, quem está ciente da verdade que tem sido revelada pelo teu Senhor é comparável àqueles que é cego? Só os que entendem receberão admoestação (يَتَذَكَّرُ)."

Conclusão

Diferente da maioria das traduções errôneas, o Alcorão não diz se uma das duas mulheres "esquecer" (ou cometer um "erro"). Portanto, o Alcorão não sugere que as mulheres são esquecidas ou propensas a cometer erros, portanto, têm algum tipo de deficiência. A palavra usada é "تضل" (tadhilla) - "desviar-se", em referência às influências e sugestões a partir de um cenário do século 7 da arábia onde os homens eram dominantes.. A exigência de duas testemunhas do sexo feminino se deve à sugestionabilidade e influenciabilidade de indivíduos que funciona em contextos de gênero não-relevantes e onde o gênero dominante é o oposto do indivíduo. É particularmente verdade que tais efeitos são mais prováveis na situação mencionada no Alcorão onde está sendo chamadas testemunhas (transações financeiras de negócios), particularmente no passado no cenário social em que o Alcorão foi revelado.

Portanto, o Alcorão não sugere que duas testemunhas do sexo feminino valem uma testemunha do sexo masculino. Isso ocorre porque a argumentação pela qual a estipulação é feita seria igualmente verdade se foi em referência aos homens que operam na situação paralela, onde o gênero dominante é do sexo feminino e o tema é socialmente mais relevante para o sexo feminino, quero dizer, em um campo onde a relevância é feminina o oposto também seria válido pois, o homem seria mais facilmente sugestionável. 

Obsr: (É também verdade que o Alcorão, em outras situações, aceita o testemunho da mulher tão igual quanto ao do homem. Realmente, o testemunho da mulher pode mesmo invalidar o do homem. Se um homem acusa sua esposa de falta de castidade, exige-se dele um juramento solene pelo Alcorão, por 5 vezes, como evidência da culpa de sua esposa. Se a esposa nega e jura igualmente 5 vezes, ela não é considerada culpada e em qualquer dos casos o casamento é dissolvido (24:6/11).)

Nenhum comentário:

Postar um comentário