TRADUTOR/TRANSLATE

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Crimes de Honra

Lei Islâmica Codificada, é uma compilação de 3 volumes, principalmente da Lei Hanafi feito por uma equipe de seis estudiosos islâmicos, e publicado pela Fundação Islâmica de Bangladesh.


Eu me sinto ofendido intelectualmente ao ver como dezenas de artigos e discursos sobre temas como a mutilação genital feminina e crimes de honra, muitas vezes escondem as dimensões islâmicas dessas questões para debaixo do tapete. Atitude de negação nunca ajudou na resolução de problemas.

Registros dos impérios Hammurabi, assírio, Napoleônico, Romano etc mostram que os crimes de honra atravessam cultura, região e religião. A atitude é simples - A "castidade" da mulher não é propriedade dela mesma, mas de sua família.


Como agora isso é dominante nas sociedades muçulmanas, devemos analisar a forma como a lei da Sharia impacta essa cultura brutal. Os membros da família, os homens, de uma menina ou mulher podem matá-la se ela "traz vergonha para a família" (por causa de seu amor por alguém, sexo, roupas, comportamento, intimidade com os homens no Skype, Twitter, SMS no celular etc.) Mesmo no bate-papo do Facebook é HARAM , proibido - declarado pelo Sheikh Abdullah Al Mutlaq, um estudioso sênior do comitê saudita. [Fonte: New York Times]







Após a irmã / filha ser morta há dois conjuntos da lei Sharia a serem aplicados:


 CASO A


Lei kisas: - "A punição pela morte intencional é a morte" -  Lei Islâmica Codificada Vol 1-41 e em outros livros da Sharia. Justo. Bastante Justo.

1-Então segue-se a essa lei: - "Um assassino não pode ser condenado à morte se um ou todos os herdeiros da vítima perdoa/m ele ou pegam o  Blood Money - Lei Islâmica Codificada Vol 1- 44 e 46 e outros livros da Sharia.
2-O assassino pode ser condenado a pagar o Blood Money à família da vítima,
3-Como a família já perdeu a vítima, os membros não querem perder outro membro, o assassino. Por isso, é bastante natural que um ou todos os herdeiros da vítima perdoe/m o assassino e a Sharia-Estado permanece impotente. Em uma nota separada, assassinos politicamente e financeiramente poderosos estão ao redor dos países muçulmanos. Eles são assassinos e podem facilmente forçar a família da vítima, pobre e indefesa,  a pegar o dinheiro e "perdoá-los";  o Estado não pode fazer nada em tais casos.

Lei Islâmica Codificada, Volume 1





CASO B

Lei Sharia: - "Os pais e avós não serão punidos por matarem seus filhos ou netos" - Lei Islâmica Codificada Vol 1-65B, lei 
Shafi'i # o.1.2.4.

Lei Islâmica Codificada, Volume 1 # 65 B









Não menciona filhas ou netas, mas, na essência, certamente, se aplica a elas também.


Esta lei é criada com base em Sahih Ahadith (exemplos do Profeta); Veja abaixo.


Sahih Ibn Majah Volume 4- 2661, 2662:






Sahih Tirmiji 1404, 1405 & 1406:






Essas leis artificiais, fabricadas pelo homem na Sharia e Ahadith são os principais instrumentos para legitimar a violência em nome do Islã. Esta é uma das principais razões da crescente islamofobia global. Temos de aplicar o nosso direito de rejeitar totalmente essas leis, baseando-nos na lógica e nos direitos humanos.


Partes do texto "SHARIA MATH OF HONOR KILLING" Traduzido do Blog HASAN MAHMUD DOT COM  por Pollyanna Meira


===========================================================

"Segundo um relatório publicado nesta quinta-feira pela Comissão de Direitos Humanos do Paquistão (CDHP) quase 900 mulheres morreram no ano passado nos chamados crimes de honra, geralmente realizados por parentes das vítimas. Os 869 casos documentados pela Comissão ficam abaixo dos 913 denunciados em 2012 e aos 943 em 2011, e se constata a passividade oficial para lutar contra a forte discriminação que as mulheres sofrem nessa região do planeta.

"Esse tipo de crime persiste pela impunidade dos assassinos", afirma o documento da CDHP, que denuncia que a tradição "islâmica" de permitir a absolvição dos agressores, se forem perdoados pela família da vítima, favorece os criminosos. "A família da vítima costuma ser também a do criminoso, que frequentemente perdoa seu parente por conveniência'" afirma o relatório, que sentencia que "a impunidade continua e estimula outros a seguirem o exemplo"."


Não apenas isso, existe o apedrejamento como crime de honra, existem os homens que queimam as mulheres com ácido, existem as mulheres estupradas que precisam se esconder ou não contar o ocorrido para que não sejam vítimas desse tipo de crime. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário