TRADUTOR/TRANSLATE

sexta-feira, 1 de maio de 2015

DISCURSO DE ÓDIO


Discurso de ódio (tradução do inglês: hate speech) é, de forma genérica, qualquer ato de comunicação que inferiorize uma pessoa tendo por base características como raça, gênero, etnia, nacionalidade, religião, orientação sexual ou outro aspecto passível de discriminação.
Definição de "hate speech", Dictionary.com

Um post meu excluído pelo facebook, "que nunca vê nada", em que eu falava sobre como muitos judeus (NEM TODOS) em -CAPS-  são inimigos do islã (isso não é novidade para ninguém, veja o que estão fazendo em "israel") me fez parar para pensar no termo "discurso de ódio" (pois isso foi citado como sendo o motivo da exclusão do post) e também em como NINGUÉM nunca parou para questionar o discurso de ódio que está na literatura religiosa, e de como as pessoas atacam o agredido e fazem ele parecer o agressor!

Muita coisa da sexista literatura judaica/católica se infiltrou na literatura islâmica através dos hadiths. Mesmo o Abu Huraira foi dito ter muitos amigos judeus, e de lá tirado muito dos seus hadiths. Existem centenas de hadiths que são iguais aos contos judaicos/católicos . Esses contos, que se repetiram em todas as grandes religiões, atacam mulheres, homossexuais, e nunca foram levados como discursos de ódio por ninguém. Eu não entendo muito de lei, mas eu quero levantar essa questão aqui, discursos de ódio levantados por instituições religiosas são válidos, só por serem feitos por instituições religiosas? Isso é legal?



Eu não estou pregando o ódio contra uma religião, nem contra uma etnia ou raça, mas digo, e disse várias vezes, que não gosto de nenhuma religião e tenho meu DIREITO de não gostar, todas, em suas literaturas (muito parecidas por sinal) têm algo para inferiorizar/menosprezar as mulheres. Mesmo o "islã" dos hadiths está cheio de ódio contra as mulheres ... Agora, se é para excluir discursos de ódio, como fizeram/alegaram em meu post, por que todas as religiões não excluem seus discursos de ódio contra as mulheres e contra os homossexuais? 
Você nunca parou para pensar sobre isso? Por que os discursos de ódio contra as mulheres/homossexuais são válidos, aceitos e não são repudiados, descartados e tratados com o rigor da lei?

Há consenso internacional acerca do fato de que discursos de ódio devem ser proibidos pela lei, e que essas proibições não ferem o princípio de liberdade de expressão. Os Estados Unidos são um dos poucos países no mundo desenvolvido que não consideram a proibição do discurso de ódio compatível com a liberdade de expressão.
Frederick Schauer. The Exceptional First Amendment. Harvard University Press, 2005

Dizer que esses discursos de ódio são virulentos, imundos e todos os adjetivos ruins que eu conseguir encontrar, e de como muitos infiltrados contos de alguns judeus (pois isso começou com eles lá atrás na torah, lembrando que não falo de todos - Nem todos! Nem todos! Nem todos! - pois mesmo no alcorão está escrito que muitos judeus e cristãos terão suas recompensas de Deus) destruíram todas as mensagens dos profetas de paz, igualdade e humanidade, e levaram a humanidade a ser dividida em camadas, melhores-piores,  desde a época de Moisés até Muhammad, não é pregar ódio contra ninguém, pois está lá, claro, sem contestações, todo o discurso de ódio ( não meu ) mas o pregado por eles, e passado por homens sexistas, de geração em geração, torah-bíblia-hadiths para quem quiser ler e se orientar por isso como sendo "divinamente revelado". "Leis"que adoram inferiorizar as mulheres, mesmo dentro do islã quando eu digo "islã dos homens", sobre a interpretação dos estudiosos baseados em hadiths que virou segunda lei dentro do islã depois do Alcorão.

“A liberdade de expressão tem, sim, limites”, afirma a coordenadora do Núcleo de combate à discriminação, ao racismo e ao preconceito da Defensoria Pública de São Paulo, Vanessa Vieira. “Todo esse discurso homofóbico, transfóbico, discriminatório gera danos reais à sociedade. Nós vimos no ano passado, nesse ano, vemos sempre, pessoas sendo agredidas, assassinadas em virtude da sua orientação sexual ou da sua identidade de gênero”.

Vamos a alguns exemplos:

*A mulher deve ser submissa ao homem e não deve conversar na igreja
*O melhor lugar para as mulheres são as últimas fileiras das mesquitas
*Mulheres são responsáveis pelo pecado original
*Se não fosse por Eva as mulheres não transgrediriam contra seus maridos
* Se o profeta pudesse permitir a prostração de um ser humano ante outro, ele teria permitido que uma mulher se prostrasse diante de seu marido
*Homossexuais, não-naturais, transgressores, aberração
* Uma mulher não iria pagar o que seu marido faz para ela mesmo se lambesse uma úlcera excretando pus de seus pés para o topo da sua cabeça .
*Mulheres são deficientes em inteligência e na religião
*Mulheres são maioria no fogo do inferno
*A menstruação da mulher é impura e suja
*Mulher, propriedade dos pais e depois do marido (As mulheres no ocidente (as maiores herdeiras do legado judaico-cristão) eram tidas como incapazes de cumprir contratos porque elas eram praticamente a posse de alguém. As mulheres ocidentais sofreram por quase 2 mil anos por causa da postura bíblica em relação à posição da mulher, vis-a-vis seus pais e maridos.)
*Mulheres podem ser estupradas em guerra
*Se uma mulher for ingrata para o seu marido ela não alcançará o céu
*Homens podem bater (de leve) em suas esposas, como está em uma tradução distorcida do Alcorão
*Mulheres são sub-produtos dos homens, "Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem". 1 Coríntios 11:8. 
*Mulheres devem cobrir seus cabelos, pois os cabelos das mulheres geram pecado
*Mulheres não podem exercer papel de liderança nas igrejas
*Mulheres não podem liderar orações mistas
 ...Guerras, sacrifícios, inferiorização dos animais, inferiorização da mulher, escravidão, intolerância, atrocidades, contradições e outros inúmeros disparates ...
*O homem pode ter várias mulheres
*Homens devem ser segregados das mulheres, pois as mulheres podem levar os coitadinhos indefesos ao pecado

E tem muito mais ... Agora eu te pergunto, por que tantos discursos de ódio não são apagados desses livros? eu respondo: eles não vão ser apagados porque vão sempre ser usados como inspiração, durante muitos séculos, por aqueles que acham que a mulher é inferior ao homem, que os homossexuais são inferiores perante à raça humana, como os negros já foram vistos  perante os brancos.

No Brasil, o Art. 3º da Constituição Federal define que o objetivo da República Federal do Brasil também consiste em "IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação." O artigo Art. 5º, inciso XLI diz que "a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais", enquanto o inciso XLII expressamente proíbe toda forma de racismo: "XLII - a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei"

Segundo o atual consenso, discursos de ódio não são inócuos (como a princípio pode parecer), mas geram danos físicos e psicológicos naqueles que sofrem a agressão, especialmente nas crianças, como depressão, baixa estima, pressão alta, respiração acelerada e insônia - quando há depressão extrema, o discurso de ódio recorrente pode levar a vítima ao suicídio. Nos Estados Unidos, por exemplo, a intensa atividade de bullying homofóbico nas escolas fez com que vários jovens homossexuais se suicidassem - o que levou ativistas, empresas (como o Facebook e o Google) e políticos (como o presidente Barack Obama) a uma grande campanha contra o bullying homofóbico, o It Gets Better Project. Além destas consequências imediatas do discurso de ódio, dados estatísticos e históricos abundantes indicam que há forte correlação entre expressão de ódio e violência física. Campanhas de Genocídio, segregação e discriminação social foram todas acompanhadas por intensa promoção de expressões de ódio.
Anthony Joseph Paul Cortese. Opposing hate speech

Sabemos hoje em dia que a homossexualidade é natural, que a mulher não é cidadã de segunda classe ou sub-produto do homem, "costela de Adão", mas somos seres totais, e devemos ser respeitadas/os e valorizados/as em nossa totalidade.

A linguagem opressora do discurso do ódio não é mera representação de uma ideia odiosa; ela é em si mesma uma conduta violenta, que visa submeter o outro, desconstruindo sua própria condição de sujeito, arrancando-o do seu contexto e colocando-o em outro onde paira a ameaça de uma violência real a ser cometida – uma verdadeira ameaça, por certo. A linguagem, portanto, tem sua capacidade própria de ferir, ao interpelar (no sentido althusseriano do termo, com nuances) o indivíduo e submetê-lo ao poder do outro, que o reintroduz perante a sociedade de outra forma – neste caso, uma forma humilhada e inferiorizada.

Judith Butler




Obs: Quero deixar novamente claro que não sou contra judeus ou cristãos, existem muitos que são do bem e que não concordam com muita coisa colocada pra frente como fazendo parte de suas fés. Sou contra unicamente as religiões/pessoas dessas religiões que usam  discursos de ódio contra as mulheres ou qualquer outra minoria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário