TRADUTOR/TRANSLATE

terça-feira, 9 de junho de 2015

Amani Yahya, primeira rapper do Yemen

"[Pessoas] em pânico - eles viram minhas fotos sem hijab ou abaya. Eu recebo telefonemas anônimos e ameaças. Eles disseram que eu deveria parar o que estava fazendo, que era haram e que eu deveria ter vergonha."
Yahya, no entanto, não se intimidou. "Minha mãe teria se preocupado se ela soubesse. Então eu decidi não dizer às pessoas e apenas seguir em frente. Mulheres no Iêmen não mostram seus talentos porque a nossa sociedade é dominada por homens, e eles não apoiam as mulheres ... na música ", diz ela. "Mas meu pai ama música e ele sempre me ensinou a falar o que penso."
"Nas aldeias, as pessoas não percebem o quão ruim casamentos infantis são. Mas, para mim, é como matar alguém ", ela diz sem rodeios. "Casar uma garota de 8 anos quando seu corpo ainda não está pronto -. Meninas morrem por causa disso."

via: The Guardian

Nenhum comentário:

Postar um comentário