TRADUTOR/TRANSLATE

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Shariah e Jinns, Relatos de Abusos em Comunidades 'Muçulmanas'

Se você acha que os abusos relacionados com a posse de espíritos têm lugar apenas em comunidades cristãs ou animistas, então, você precisa repensar seus conceitos. Se você é um daqueles que acredita que o exorcismo é uma prática exclusivamente cristã, você está incrivelmente equivocado. Exorcismo é um negócio islâmico também. Abusos relacionados com exorcismo também acontecem em países muçulmanos. De fato, os abusos nas comunidades muçulmanas são, por vezes, apoiados pela lei sharia. De acordo com um relatório recente da BBC, um tribunal da sharia em Dubai concedeu o divórcio a um homem pois, sua esposa estava "possuída" por gênios (jinns em árabe). Possuída por gênios? Em pleno século 21? Sim, isso é uma decisão da sharia em Dubai em pleno século 21.

A crença nos gênios está enraizada na mitologia árabe. Mas os muçulmanos que professam a crença nos gênios não acham que os gênios são seres míticos. Eles acreditam que os gênios são reais - real no seu ser, real na sua posse e real nas consequências de tal posse. Os muçulmanos acreditam que os gênios são espíritos que ''são capazes de assumir formas humanas e animais, e de exercer uma influência sobrenatural sobre os seres humanos''. Para muitos muçulmanos na África Ocidental e Central, a crença na posse de gênios tem a mesma função mágica, como a crença na feitiçaria ou a crença em espíritos malignos ou demônios. Na verdade, eles pensam que a bruxaria é ofício de gênio.


De acordo com o caso em Dubai, quando o homem percebeu que a esposa estava possuída por gênios, ele chamou alguns estudiosos religiosos "que tentaram exorcizar os gênios sem sucesso".(é, eles nunca têm sucesso nessa empreitada, tanto eles como os cristãos, talvez algum charlatão evangélico possa ter) Ele, então, pediu o divórcio em um tribunal da sharia.




Não está claro como os 'estudiosos' conduziram o exorcismo, ou como o tribunal confirmou a possessão por gênios. Quero dizer, qual evidência foi proposta para provar que a mulher estava realmente possuída? Como é que um tribunal da sharia estabelece um caso de gênios, além de qualquer dúvida razoável?. Perdoe-me, para além de qualquer dúvida razoável se aplica a este caso. De qualquer forma, o tribunal foi em frente e decidiu que o casamento era uma fraude e decidiu dissolvê-lo. No entanto, o tribunal pediu ao homem para pagar a ex-esposa pensão alimentícia para sua manutenção, mas a pensão alimentícia foi cancelada na sequência de um recurso. As acusações de posse de gênios são armas para o controle social. Como nos casos de crimes de honra, os abusos relacionados com a posse de gênios tem como alvo sempre as mulheres, e é APENAS CONTRA AS MULHERES. Ainda estou querendo ver um caso de posse de gênios que foi intentado contra um homem. As mulheres são sempre as vítimas, e os homens vitimizadores.


Neste caso, mais uma vez comprovamos o caráter patriarcal da sharia como jurisprudência, e da fé islâmica como um todo. (Nem todos os muçulmanos concordam com aa sharia, ou acreditam em possessões, eu mesma sou ABERTAMENTE CONTRA a sharia -lei-) Ele ressalta a necessidade de uma reforma e renovação islâmica. A lei Sharia é um sistema legal baseado em mitos e equívocos árabes, é o raciocínio jurídico de pessoas que viveram mais de um milênio atrás. Os muçulmanos acreditam que a sharia é divina (eu não), e que não é um direito humano. Devido a este equívoco, eles pensam que tais leis que são incompatíveis com a razão, a ciência e os direitos humanos não podem ser removidas. Mas, na verdade, seções ultrapassadas dessa lei são usadas para legitimar crenças absurdas e irracionais. A ideia da posse por gênios deve e precisa ser removida!


Nesse meio tempo, enquanto os tribunais da sharia em Dubai ainda são susceptíveis com a noção de gênios e posse de gênios em comunidades muçulmanas, todos aqueles que estão fazendo campanha contra os abusos relacionados com a posse de espíritos, devem ficar vigilantes e tentar estender seus trabalhos para as comunidades muçulmanas e, garantir que esta prática religiosa prejudicial pare, se as sanções da sharia infelizmente não.


Leo Igwe

Tradução Pollyanna Meira

Antes eramos caçadas como bruxas, hoje como bruxas e possuídas por demônios

Nenhum comentário:

Postar um comentário