TRADUTOR/TRANSLATE

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Sharia, Hadith e Sunna, não é bem assim como você pensa.

Ironicamente, o Alcorão menciona todas as três palavras - Sharia, Hadith e Sunna - mas em um contexto muito diferente daquele estabelecido pelos estudiosos. Além disso, o Alcorão nos adverte contra seguir quaisquer opiniões pessoais em vez dos ensinamentos de Deus e das leis sagradas (28:50, 47:14). Deus está plenamente consciente de que as gerações subsequentes, após a revelação do Alcorão, viriam com sua própria sharia e com as suas próprias fontes de leis. Portanto, Ele insisti em nos ensinar que o Alcorão é a verdadeira sharia. Ele indicou que os estudiosos religiosos têm feito injustiça para com nossas almas e à Sua verdade. Eles declararam que Alcorão por si só não é suficiente, enquanto Deus testifica que está completo (6: 115), perfeito (11: 1, 2: 2), totalmente detalhado (6: 114), que tem as explicações para tudo (16:89), tem os detalhes de tudo (12: 111), e tem tudo o que precisamos para a nossa salvação (6:51).

A raiz da palavra sharia é "sha ra aa" e significa: emitir leis e práticas. A raiz junto com alguns de seus derivados são mencionados no Alcorão três vezes (42:13, 42:21 e 05:48). Além disso, a palavra "sharia", em si, é mencionada uma vez em 45:18.

Da mesma forma, as palavras hadith e sunna são usadas no Alcorão para nos alertar contra o que virá, ou seja, falsas atribuições ao Profeta Muhammad ou ao nosso deen. A palavra hadith (narração) ocorre referindo-se ao próprio Alcorão (39:23, 45: 6, 68:44, 77:50) ou para salientar que não deve haver nenhum outro hadith (narração), além do Alcorão, a ser seguido (7: 185, 12: 111, 31: 6, 52:34). Tal como para a palavra sunna (sistema ou modo de vida). É interessante notar que sunna é mencionada 14 vezes no Alcorão. Onze das quatorze estão se referindo à sunna imutável de Deus (15:13, 17: 77-duas vezes, 33:38, 33:62 -duas vezes, 35:43 -duas vezes, 40:85, 48:23 -duas vezes). As outras três estão se referindo à sunna ou o sistema de outras entidades e como devemos prestar atenção para as consequências ruins que enfrentamos quando seguimos essas outras sunnas (08:38, 18:55, 35:43 e). Isso só invalida qualquer uso comum ou implicações dos ahadith, ou sunna, especialmente como uma fonte para as leis da sharia que governam e controlam.

Fonte: submission.org
Tradução: Pollyanna Meira



"Que a sharia (como praticada/conhecida hoje) deriva do Alcorão é um mito" ... "Muitas leis da sharia violam o Corão, especialmente quando se trata dos direitos das mulheres", disse Mahmud.

"Sharia significa, literariamente, o caminho feito pelos animais que vão para o ponto por onde a água flui, ou a própria água que flui. Simbolicamente, significa o caminho para a salvação ou Nirvana, isso é exatamente o que o Alcorão quer dizer com sharia ... Orientação ética ou um código moral que conduz à paz e ao paraíso. 
'Orientação moral' transformada em 'lei estadual' foi a primeira traição que o Corão sofreu."



"Os islamitas radicais têm tentado estabelecer a sharia no Ocidente, a primeira corte de lei sharia, apoiada por lei local, foi criada em Toronto, em 1991, nós só viemos a saber sobre ela em 2003, então nós, muçulmanos seculares, começamos um movimento enorme contra isso e em última análise conseguimos, em setembro de 2005, que esse tribunal fosse abolido pelo governo ", continuou ele.

Afinal "1. O que significa sharia?

Sharia é a lei do Alcorão e, literalmente, significa "por onde a água flui concedendo vida." Na verdade, a palavra Yarrah (ou seja, a raiz da palavra hebraica na Torah) significa precisamente a mesma coisa. Portanto, sharia está realmente enraizada na tradição abraâmica.

A sharia é composta por cinco ramos principais: adab (comportamento, moral e costumes), ibadah (adoração ritual), i'tiqadat (crenças), mu'amalat (transações e contratos) e 'uqubat (punições). Estes ramos se combinam para criar uma sociedade baseada na justiça, pluralismo e igualdade para todos os membros dessa sociedade. Além disso, a sharia não deve ser imposta a qualquer pessoa sem sua própria vontade. O Profeta Muhammad demonstrou que as pessoas devem aplicar a sharia em si mesmas - não através da implementação de um governo forçado.

Além disso, o Alcorão não promove qualquer forma específica de governo, mas exige que as pessoas façam escolhas baseadas em ADL ou "justiça absoluta." Observe, preferência religiosa nunca é mencionada. Portanto, o governo deve agir com justiça absoluta, por exemplo, o justo rei judeu Solomon governou como um monarca apenas com base neste princípio fundamental da lei sharia - a justiça.

Sharia é uma relação pessoal entre um muçulmano e Deus." Qasim Rashid 

O que você acha de banir essa >sharia de hoje< e os contos loucos de estudiosos loucos para sempre de seu dicionário e de sua vida, e aplicar a verdadeira sharia (como mencionada no Alcorão) primeiro em você mesmo??


Um comentário: