TRADUTOR/TRANSLATE

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Paulo = Bukhari (2)


Há uma semelhança gritante e inconteste entre o catolicismo e o islam clerical ahadíthico, o modus operandi de ambos é bem semelhante.
Explico:
Deus revela os textos bíblicos e o Corão, os clérigos católicos e islâmicos ahadíthicos criam o catecismo e os hadiths. A única autoridade de palavra e ensinos da crença é Deus e sua mensagem e o catolicismo cria a infalibilidade papal que inclusive altera, inclui ou retira o que lhe convém com a implementação de dogmas, concílios e adendos, o mesmo fazem os imans e sheikhs com seus hadiths e fatwas, conforme as suas "infalibilidades" clericais. O papa posterior pode revogar e implementar algo totalmente discordante do que o Papa anterior determinou e alterar dogmas conforme entender necessário (a infalibilidade deixa de ser infalível após a morte ou destituição do mesmo? What a hell?), assim como um imam que sucede outro, ou de outra localidade e interpretação de jurisprudência islâmica, também revoga a fatwa de seu antecessor ou a modifica. Tanto o catolicismo quanto o islamismo ahadíthico estimula a total dependência do crente pelo sacerdote/clérigo para aprender e interpretar seus textos que só um "estudioso" poderia saber e compreender. A inteligência que Deus lhe dá, a fé e a universalidade da mensagem para todos parecem não bastar, enfim! O islamismo clerical ahadíthico tem sua maior inspiração no modus operandi do catolicismo sim. Talvez por isso há tantas teorias da conspiração que apregoam e defendem que o islamismo foi criado e é controlado pela igreja católica (e para mentes impressionáveis e sem certo conhecimento histórico-religioso do contexto de ambas as crenças, vem até a ter um pouco de sentido pelas amarras que criam na trama digna de Dan Brown). Lamentável tudo isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário