TRADUTOR/TRANSLATE

terça-feira, 14 de junho de 2016

Orlando ... Hipocrisia ... Hadiths de Novo


“o discurso homofóbico é um instrumento de propaganda política e religiosa eficiente porque ele instiga os muitos reprimidos e enrustidos a odiar e silenciar seu próprio desejo – que é o que eles querem. Agora, esses reprimidos e enrustidos, assim instigados, tornam-se assassinos de Orlando: lincham ou massacram qualquer um que se pareça com aquela parte deles mesmos que eles foram instigados a suprimir”. Calligaris


Homobofia de religiosos leva gays reprimidos à violência. Veja mais aqui


O que vi:



1 - A maioria dos "estudiosos" não se pronunciou, e os que fizeram, fizeram sob o manto da hipocrisia, pois, existem hadiths que condenam homossexuais à morte, e todos os estudiosos, tirando os que trabalham com uma interpretação alternativa/inclusiva do islã, pregam em suas mesquitas e páginas que a homossexualidade é pecado/desvio/abominação. Vi mesmo um estudioso dizendo, de maneira sarcástica, que estava esperando a mídia vir atrás dele essa semana.


Esse é um estudioso de verdade, homossexual, casado, trabalha na França com um islã inclusivo. "Em nenhuma parte do Alcorão a homossexualidade foi condenada ou citada. O conceito não é citado, mas o comportamento sim."


"Hoje todo mundo é Mujtahid! (mujtahid são pessoas que praticam a ijthad, esforço de reflexão, bom senso, critica etc). É interessante ver tantos muçulmanos, em reação ao horrível tiroteio na Flórida, alegando na mídia que o islã não ensina a violência contra os gays. Faça-me um favor, espere um ou dois meses, deixe a cobertura na mídia sobre o tiroteio esfriar, então, pergunte para o seu imam qual a punição na sharia para atos homossexuais entre homossexuais adultos. Reformas são há muito esperadas." 


"Absolutamente enojada pelas respostas de nossos líderes ( imams, sheikhs, afins) que estão muito felizes encontrando razões para escaparem de qualquer reflexão interna sobre homofobia dentro de nossa comunidade (e neles mesmos). Você sabe o que eu pensei quando eu ouvi que Omar Mateen era aparentemente enrustido, batia na esposa, e lutava contra o abuso de drogas? Pensei em todos os muçulmanos queer que eu conheço que têm sofrido pressão de seus pares, que são forçados, e às vezes aliciados, por suas famílias e comunidade, a entrarem em casamentos a fim de que possam ser 'curados'. Eu vi muitos casamentos assim, em que ambos estão devastados pelas mentiras ditas, e pelos segredos mantidos ..."



2 - Vi muitos muçulmanos em seus perfis condenando os ataques, mas esses mesmos muçulmanos seguem, curtem páginas e perfis desses estudiosos já citados.


"e para as comunidades religiosas e seus líderes discutindo na mídia: Eu sei quem vocês são. Eu ouvi sua khutbah/sermão/leituras contra homossexualidade, eu tenho visto jovens queer e muçulmanxs trans sendo intimidados no exterior de suas madrassas, mesquitas, e igrejas. Criando um terceiro espaço nos apartamentos das pessoas e nos cafés para sentirem-se seguros. Reunindo-se em qualquer lugar longe de seus locais de adoração, por sentirem que a segurança deles está ameaçada. Então, sim, 50 pessoas serem assassinadas por sua sexualidade é errado, mas não finja que tudo isso é contra a sua fé ou suas crenças pessoais, não peça por 'orações', e não diga que 'isso não é como nós somos' porque isso é. Vocês sempre foram silenciosos sobre os suicídios dos queer e pessoas trans de cor, e quando crianças são jogadas para fora de suas casas, etc ... Observamos isso."


"Enojado com o 'bem, foi provado que ele era um gay enrustido e tinha problemas mentais, então, nossas mãos estão limpas, não precisamos falar sobre a homofobia em nossa comunidade', falas que estou ouvindo nesse momento. Enojado com Yasir Qadhi por apertar o botão da moral aqui. Enojado com Hamza Yusuf, que disse que a pornografia muda a fiação do nosso cérebro e nos torna gays, sendo apresentado como a voz da sanidade. Eu também vi muitas coisas bonitas sendo ditas por muçulmanos, mas eles não são nossos ditos 'líderes'. Eu estou tentando manter o foco neles, retuitando e repostando o que eles dizem."

O silêncio muçulmano sobre os direitos dos gays.


"Às Organizações Muçulmanas: se suas mensagens, em torno do que aconteceu no tiroteio em Orlando, for 10% simpatizando com as vítimas e 90% defendendo e protegendo muçulmanos, por favor, envie suas declarações aos mesmos lugares onde Trump obtém suas ideias. Embora possamos esperar besteiras islamofóbicas em torno disso. AGORA é hora de trabalhar para manter as pessoas LGBTs seguras, e nenhuma declaração sobre os eventos recentes, devem vir sem uma ideia de como podemos conseguir isso."




"Nossos pensamentos e orações estão hoje com a comunidade gay em Orlando, que perdeu tantos noite passada, e com as comunidades queer de todos os lugares que são alvos constantes de héteros e preconceituosos. Pensando nos homofóbicos em todo mundo, que ao invés de olhar para dentro, vão usar isso para abastecer suas agendas racistas por que o nome do homem era Omar. Pensando no estudiosos muçulmanos que irão publicamente condenar isso para distanciá-los do terrorismo, mas ainda assim, continuarão espalhando mensagens de ódio. Pensando na jovem solteira que levou um tiro e foi assassinada em Orlando, justamente na noite anterior por um homem cis, cujo nome e raça não nos lembramos, assim de cabeça. Pensando sobre essa cultura imprevisível de armas nesse país. Pensando nos muçulmanos queer que serão dispensados de todas as conversas. Esse é o mês do orgulho. Esse é o mês do Ramadan. Foda-se homofobia e Foda-se islamofobia."

Você deve estar pensando, mais que raios são esses tais hadiths de que ela tanto fala, bom, qualquer página que você entrar e lá estiver escrito "o profeta Muhammad disse ...", " não sei quem disse que ouviu o profeta dizer ... ", "não sei quem narrou ...", "estudioso de não sei quantas disse ...", ou no final de uma frase "... Muslim, Bukhari ..." ou qualquer outra coisa além de números de versículos do Alcorão, é isso! Lógico que eles não mostram os feios, os repressivos, os misóginos, os segregacionistas, racistas, pedófilos, sujos, loucos, blasfemos, cruéis (apesar de já ter visto muitos hadiths sem sentido nessas páginas), mas estes, assim como os 'bunitim', estão todos no mesmo pacote, e quem prega um, segue todos, disso você pode ter certeza. Na comunidade muçulmana, quem não segue esses dizeres, que falsamente são atribuídos ao Profeta, Aisha ou algum companheiro do Profeta, é considerado descrente, é isolado da comunidade! Como é o nosso caso e de tantos outros que são mesmo ameaçados. Toda violência contra as mulheres, crianças, gays em nossa umma, primeiro começa pelos ensinamentos, depois partem para as vias de fato.


"No campus UNC, há um pregador cristão que atrai regularmente multidões e provoca os alunos com declarações de ódio dirigidas a quase todos. Eu conheço estudantes muçulmanos que ouvem tudo apenas para editar o material explicitamente cristão e antimuçulmano para si, e acham ele, de outra forma, útil. O que isto ilustra para mim é que a homofobia muçulmana não é exclusivamente muçulmana. Como quase tudo em nossas tradições, que toma forma em conversa com recursos circundantes. Sim, a homofobia muçulmana existe, e eu estou lutando agora com a realidade do que eu teria dito sobre Orlando se isso tivesse acontecido quando eu tinha 17. Mas antes da minha conversão, eu aprendi a homofobia como um valor americano normal. Se as pessoas querem especular sobre a ideologia do atirador (até agora, só tenho visto especulação), existem muitas raízes emaranhadas a considerar. Eu não estou interessado em ler condolências ou condenações de líderes muçulmanos que são homofóbicos todos os outros dias do ano e que, depois de defender a terapia da 'cura o gay', alegando que 'com pornografia você vira gay', e recusando-se a chamar mulheres trans por seus nomes, queiram imaginar que eles não têm contribuído para a percepção das pessoas LGBT como merecedoras de violência. Nem ouvir sheikhs que pensam em si mesmos como forças benevolentes por dizerem: 'Claro que você pode ser um muçulmano e gay; afinal de contas, há muçulmanos que são mentirosos, muçulmanos que são ladrões de banco, etc.' Ao mesmo tempo, vamos resistir ao mito do 'Ocidente', como esta gaytopia segura e feliz, em que o ódio e a violência são imaginadas como vindos de algum lugar de fora, alguma nuvem de muçulmanos maus . Este foi um ato totalmente americano."

"Pessoas do facebook, twitter e outras redes, se vão colocar em seus perfis 'reze por Orlando', pensem se as orações #modinha pelas vítimas de hoje têm sentido quando vocês defendem e promulgam a homofobia amparada em Deus e na religião. Na maioria de suas publicações vocês se escandalizam com amor entre homos porque Deus fez homem e mulher. A homofobia mata e suas orações com hashtag incluindo as de hoje, de nada servem se você ajuda a alimentar preconceitos cotidianamente, que segregam e acabam com vidas, mas que hoje fazem vocês se sentirem legais recebendo retuítes e curtidas."


"Sou uma muçulmana trans. Os mesmos líderes que me baniram e me colocaram à parte por ser trans, são os mesmos que estão dizendo na mídia, o quanto eles apoiam a comunidade LGBT. #Hipocrisia" 


Todo muçulmano que compartilha, aprova, segue estudiosos e curte páginas que espalham esses dizeres estão colaborando e são cúmplices de toda violência cometida em nome do islã. Parem de dizer que isso não tem relação com o islã! Quem segue hadiths, mesmo sendo estes contrários aos ensinamentos do Alcorão, se considera muçulmano, então, isso é problema do islã!

"Se os muçulmanos estão mais preocupados com a reação islamofóbica do ataque em Orlando do que em abordar as questões profundas da homofobia, transfobia, misoginia, e sexismo, dentro e fora das nossas comunidades, então, você é parte do problema e não parte da solução. Ignorar o ódio e a intolerância não vai fazer isso acabar, nem nunca resolveu. Quando se trata desta ou outras questões sobre justiça social, os muçulmanos podem optar por falar agora ou esperar até o Dia do Juízo. A escolha é sua, e disso virá as consequências. Eu prefiro explicar à Allah (SWT) porque eu fiz as coisas que fiz nesta vida do que explicar porque eu escolhi ficar em silêncio para proteger a minha imagem temporária, em uma comunidade temporária nesta dunya temporária. Acordem!!!"

"Nós estamos aqui. Nós somos queer. Takbeer. Deus é o maior"

A violência não vai parar até os muçulmanos aceitarem seus erros. Aceitarem que a mudança começa de dentro para fora. Entenderem que enquanto estiverem dando ibope para esse tipo de estudioso, tudo continua igual. Eles são fortes, livros de estudiosos são considerados a segunda fonte do islã e são mais seguidos do que o próprio Alcorão! Muitos muçulmanos não conseguem fazer nada sem antes pedir conselhos a um estudioso, a palavra deles é incontestável (não para mim). O islã está crescendo, muitos países já estão tendo que lidar com os extremistas da nossa comunidade.

"Você não pode pregar que o Todo Misericordioso destruiu uma cidade inteira porque algumas pessoas eram gays, e depois alegar solidariedade com os muçulmanos queer."


"Nossos líderes (não meus) condenam a violência contra a comunidade LGBT quando isso se torna conveniente, mas eles raramente trabalham dentro de nossa própria comunidade para fazer os muçulmanos LGBT se sentirem bem vindos e abraçados. Esse é o tempo para mudanças."


Muçulmanxs no Brasil, que não têm a mesma visão extremista e misógina, são perseguidxs e ameaçadxs. Mulheres não podem liderar orações. Mulheres muçulmanas são oprimidas sim dentro de nossa comunidade. Não estou falando de um punhado que é bem sucedida na carreira, estou falando das que são estudiosas, que não são conhecidas, que são perseguidas, ameaçadas. Quantos perfis de mulheres estudiosas você conhece? Quantas muçulmanas trans você conhece? Quantos muçulmanos gays você conhece? Quantas mulheres você já viu liderando uma oração? Quantas você já viu rezando com os homens? Quantas você já viu sem véu? Então, mais uma vez, não me venha com esse papo de que mulheres muçulmanas e gays não são oprimidos, ou que muçulmanos não são homofóbicos, pois são!
Muçulmanas são consideradas deficientes em inteligência e religião.


blablabla mimimi ... "A posição do islã sobre a homossexualidade, por conta desse massacre, é irrelevante."

Os estudiosos falam que não existem muçulmanos gays. Existem! Há imams gays, existem homens muçulmanos casados com outros homens, existem mulheres muçulmanas casadas com outras mulheres, você já viu? Você já viu algum estudioso falando que eles não são haram?


"A declaração sobre o ocorrido em Orlando, como sempre, é uma bobagem inútil. Estamos tornando isso islamofobia dos outros, não homofobia de nossa própria comunidade."


Precisamos crescer! Os estudiosos precisam parar de comparar sodomitas com homossexuais!
"Aqueles muçulmanos que disseram ao mundo que Deus odeia os homossexuais que não se arrependem, que Allah irá destiná-los ao fogo do inferno para sempre ... Esses mesmos muçulmanos, agora estão condenando o atirador de Orlando ... Será que eles não percebem que o atirador apenas cumpriu o que eles defendem? Será que eles não percebem que são cúmplices daquele crime?"
...
Da página de um amigo  
"Um amigo muçulmano gay me disse que seus pais disseram que Deus enviou Omar Mateen para matar os gays porque é o mês sagrado do Ramadã. Imagine como ele deve se sentir, sendo gay e ouvindo seus próprios pais dizendo isso."

"Um dos meus amigos postou o hadith que apoia assassinato de gays ..... Ele postou em consideração ao tiroteio em Orlando ... Oh Meus Deus!"

        Também sobre o atentado em Orlando.

Bem, muçulmanos verdadeiros são perfeitos (isso existe?). Não, eu não preciso me desculpar por pregar homofobia (ele é um estudioso) que, aliás, disse que o ISIS é um mal necessário. Agora o cara é um louco por seguir o Estado Islâmico. Sim, se ninguém nunca culpou os cristãos por nada, não podem fazer o mesmo com os muçulmanos. Sim, as mortes foram motivadas pela ISLAMOFOBIA. Sim, se fosse um 'BARBUDO' seria um muçulmano 'verdadeiro'. E sim siimmm! É muito estranho ter ocorrido depois da morte do Muhammad Ali, se fosse em outra época não seria estranho .....

"Ao invés de repetir velhas desculpas, nós, muçulmanos, precisamos nos unir contra a ideologia fundamentalista. Quando você está atacando civis inocentes em nome de sua religião, ou depois de ser motivado por seu texto religioso, o terrorismo e o extremismo têm uma religião!

Veja como a homossexualidade é vista por muitos muçulmanos brasileiros AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário