TRADUTOR/TRANSLATE

sábado, 24 de setembro de 2016

#Choque Cultural?

Depois da foto que viralizou na internet, da jogadora de vôlei de praia egípcia Doaa Elghobashy (que aparece de véu e com o corpo totalmente coberto) disputando bola com a alemã Kira Walkenhorst, de biquíni, quero mostrar para vocês como as mulheres iranianas, sob a dinastia Pahlavi, praticavam esportes até 1979. Não havia o véu, muito menos o corpo todo velado. As fotos falam por si mesmas.

"No Irã, mulheres podem votar, trabalhar, serem eleitas a cargos políticos, dirigir, estudar (inclusive são maioria nas universidades). Porém, no Irã, ainda não podem: cantar sozinhas na frente de homens (exceto coros), sair do país sem a autorização do pai ou marido, serem eleitas para presidente e serem juízas. Em juízo, o testemunho de uma mulher vale metade do testemunho do homem. Cargos políticos como presidente ou parlamentares são eleitos por voto direto. Homens e mulheres podem votar, sem restrições. No entanto, acima do presidente está o Líder Supremo Religioso, que tem o poder de vetar em última instância eventuais medidas que desagradem a religião islâmica. O Líder Supremo também pré-aprova os candidatos que disputarão as eleições."

**"Se forem aprovados dois projetos de lei, as mulheres iranianas poderão sofrer restrições significativas ao uso de anticoncepcionais e serem mais excluídas do trabalho caso não tenham tido um filho ou filha, segundo um novo relatório da Anistia Internacional. Em “Procriarás: Ataques contra os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres no Irã”, detalham-se os extremos a que estão chegando as autoridades iranianas para fomentar a procriação múltipla em uma torpe tentativa de aumentar a taxa populacional do país, que está em declive. 

A discriminação do Estado

Segundo o Código Civil vigente no Irã, as mulheres não têm direito de receber manutenção conjugal se se negarem a cumprir os “deveres conjugais”, o que pode incluir negar-se a manter relações sexuais com seu marido ou sair de casa sem a sua permissão.
O testemunho judicial da mulher vale a metade do que vale o do homem, e a indenização a ser paga por matar ou causar lesões a uma mulher é a metade do que deve ser pago pelos mesmos danos causados a um homem.
A idade de responsabilidade penal das meninas é a partir dos 9 anos, e o dos meninos dos 15. O estupro dentro do matrimônio e a violência no âmbito familiar não são reconhecidos como crimes.
As relações sexuais entre mulheres podem ser apenadas com 100 chibatadas e, caso sejam declaradas culpadas por uma quarta vez, são condenadas à pena capital.
Os matrimônios precoces e forçados são costumeiros e, segundo o informe anual 2014-2014 da Organização Nacional para o Registro Civil, havia 41.226 meninas entre 10 e 14 anos casadas e ao menos 201 menores de 10 anos.
Em algumas universidades, as mulheres não podem estudar certas disciplinas, desde engenharia até literatura inglesa, como resultado dos ajustes impostos para tentar reverter os avanços realizados em número e percentual de estudantes universitárias.
As mulheres também sofrem restrições na hora de assistir como expectadoras a competições esportivas disputadas em estádios públicos."
Apenas 17% das mulheres no Irã (entre 15 e 64 anos) participam ativamente no mercado de trabalho, seja trabalhando, seja procurando emprego.
As restrições crescentes das oportunidades de emprego para a mulher fizeram com que nos últimos oito anos tenham perdido seu trabalho 100.000 mulheres por ano.
O índice de desemprego para a mulher é de 16,8%, quase o dobro do que para o homem (9,1%).
Os matrimônios em tenra idade e forçados são habituais no Irã, e em 2013-2014 ocorreram 41.226 casamentos de meninas entre 10 e 14 anos e ao menos 201 de meninas menores de 10 anos." **Fonte: Anistia Internacional



A realeza Pahlavi

Pahlavi


1964











Mahin Korehchian 



Shahla Rohani 















1950





As irmãs Golnaz & Nooshafarin Sadri - 1967  























Nadia Valioghli  

Nastaran Hassanizadeh 

Golrokh Moez









Zinat Movaid





Nastaran Hassanizadeh, Tonia Valioghli

Nastaran Hassanizadeh

Farideh Pourabbas, Nastaran Hassanizadeh, Afsaneh Rayhani

Nastaran Hassanizadeh parabenizando Afsaneh Rayhani

Linda e Shireen Firouzabadian

Shireen Firouzabadian

Tonia Valioghli, Linda Firouzabadian, Haleh Vafaei

Haleh Vafaei,Tonia Valioghli





Minoo Forouzesh



Afsar Jafari



Afsar Jafari



Paraquedistas





Akhtar Ahmadi

Maryam Sedarati

Zahra Hosseini, 1975









Mahin Shahabi

Azar Davaloo-Ghajar













Mina Kelishadi

 Carmen Galestian

Niloufar Mohajeri









1967









1973









Irã x Coréia do Sul











































Golnar Bakhtiar

Golnar Bakhtiar 

Pouri Banayi



Jila Almasi































Tênis - masculino e feminino

Tênis de mesa - masculino e feminino





 Shaheen Rezai, Zari Husseini & Marayam Sedarati

Atletas Iranianos - 1974 















As atrizes Mahnaz, Aram, Marjan e Sepideh, promovendo o esporte



Farah Diba

Shahbanou e amigos

Shahbanou Farah

Nenhum comentário:

Postar um comentário