TRADUTOR/TRANSLATE

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Hadiths = Fim dos Direitos Humanos

Sahih Bukhari (52: 260) - ... O "Profeta" disse: "Se algum muçulmano descartar sua religião, matem-no."

Sahih Bukhari (83:37) - "O Apóstolo de Alá nunca matou ninguém, exceto em uma das três situações seguintes: (1) A pessoa que matou alguém injustamente, foi morto (em Qisas,); (2) uma pessoa casada que cometeu intercurso sexual ilegal e (3) um homem que lutou contra Deus e Seu Apóstolo, desertou ao Islã e tornou-se um apóstata."

Sahih Bukhari (84:57) - [Nas palavras do] "Apóstolo de Deus": "Quem quer que tenha mudado sua religião islâmica, matem-no."

Sahih Bukhari (89: 271) - Um homem que abraça o Islã, em seguida, reverte ao Judaísmo deve ser morto de acordo com "o veredicto de Deus e Seu Apóstolo."

Sahih Bukhari (6:60:79) - Duas pessoas culpadas de relações sexuais "ilegais" são apresentadas a Muhammad, que ordena que os dois sejam apedrejados até a morte. Aparentemente, o ato deles foi por amor, já que o verso registra o homem tentando proteger a mulher das pedras.

Sahih Bukhari (52: 255) - O escravo que aceita o Islã e continua servindo a seu senhor muçulmano receberá uma recompensa dupla no céu.

Sahih Bukhari (41,598) - Os escravos são propriedades. Eles não podem ser libertados se um proprietário tem dívida, mas eles podem ser usados para saldar a dívida.

"Minha mãe, Um Ruman, veio a mim enquanto eu brincava com algumas de minhas amigas. Ela me chamou, e eu fui até ela, não sabendo o que ela planejava fazer. Ela me tomou pelas mãos e me fez ficar de pé na porta da casa. Eu estava sem fôlego naquela hora, e quando meu ar voltou ao normal, ela pegou um pouco de água e esfregou em meu rosto e cabeça. Então ela me levou para dentro da casa. Dentro da casa eu vi algumas mulheres Ansari que diziam, 'Felicidades, que Allah a abençoe e boa sorte.' Então ela me confiou a elas, e elas me prepararam (para o casamento). Inesperadamente o 'Apóstolo de Allah' veio a mim pela manhã e minha mãe me deu a ele, àquele tempo eu era uma menina de nove anos de idade."

Narrado por 'Aisha: que o profeta se havia casado com ela quando ela tinha 6 anos, e que ele havia consumado o seu casamento quando ela tinha 9 anos. Hisham disse: "Fui informado que 'Aisha ficou com o 'Profeta' durante 9 anos" (isto é, até à sua morte) - Sahih Bukhari 7:62:6

"Narrado por As-Sab bin Jaththama: O Profeta passou por mim em um lugar chamado Al-Abwa ou Waddan, e foi perguntado se era permitido atacar os pagãos <kuffar> guerreiros à noite, com a probabilidade de expor suas mulheres e crianças ao perigo. O Profeta respondeu: 'Eles (ou seja, mulheres e crianças) são a partir deles (ie kuffar).' Eu também ouvi o Profeta dizer: 'A instituição de Hima é inválida, exceto para Deus e Seu Apóstolo'." (Sahih Bukhari Vol. 4, Livro 52, nº 256)

O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) disse: "A mulher é 'awrah, e se ela sai à rua, o shaytaan aumenta suas chances de desviá-la. Ela nunca está mais perto de Allah do que quando fica em sua casa. "Narrado por Ibn Hibbaan e Ibn Khuzaymah; Classificado como saheeh por al-Albaani em al-Silsilah al-Shaheehah, no. 2688


...


2 comentários:

  1. De acordo com o historiador da religião Philip Jenkins,da universidade Penn State, a Bíblia é potencialmente mais violenta que o Corão.


    O historiador de religiões chegou à conclusão de que a violência estampada no Corão é defensiva, sendo, portanto, compatível com o senso comum do século 7º, período ao qual o livro se refere.

    Para Jenkins, a brutalidade contida na Bíblia vai além do que chama de razoabilidade histórica, porque prega com constância o genocídio. Como exemplo, ele cita o primeiro livro

    Samuel, em 15:3:
    “Vai, pois, agora e fere a Amaleque; e destrói totalmente a tudo o que tiver, e não lhe perdoes; porém matarás desde o homem até a mulher, desde os meninos até aos de peito, desde os bois até as ovelhas, e desde os camelos até aos jumentos”.


    Saul se compadeceu de algumas vítimas, poupando-as, ao que Deus ficou furioso:

    “Arrependo-me de haver posto a Saul como rei, porquanto deixou de me seguir, e não cumpriu as minhas palavras.”
    (Sm 15:12)

    A fúria devastadora das Cruzadas (do século 11 ao 13) é exemplo da prática dos ensinamentos da Bíblia.

    Jenkins, autor de Jesus Wars, diz que a violência no Alcorão é em grande parte uma defesa contra o ataque.

    http://blogs.estadao.com.br/marcos-guterman/biblia-ou-corao-qual-e-o-mais-violento/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A bíblia é mais violenta que o Alcorão MAS não estou falando do Alcorão, estou falando dos livros de ahadith escritos por estudiosos, estes são igual a bíblia (leis de apedrejamento, morte por apostasia, casamento infantil, mulher inferior ao homem, etc etc, ahadiths são uma cópia da bíblia

      Excluir