TRADUTOR/TRANSLATE

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Mulheres no Irã desafiam fatwa que as proíbe andarem de bicicleta em público


Mulheres no Irã estão postando, nas redes sociais, suas próprias fotos andando de bicicleta, desafiando uma fatwa que as proíbe de pedalarem em público.

O entendimento era de que as mulheres poderiam andar de bicicleta contanto que os interesses religiosos fossem respeitados.

Mas quando perguntado recentemente, o líder supremo do Irã, Ali Khamenei, disse que as mulheres não tinham permissão para pedalar em público ou na presença de estranhos.

A questão entrou em foco no início deste ano, quando ativistas no Irã começaram a marcar "terças-feiras sem automóvel" para incentivar as pessoas a deixarem seus carros em casa, na esperança de reduzir a poluição.

Quando as mulheres foram vistas participando da campanha e andando de bicicleta, a atitude foi reprovada por alguns clérigos iranianos.

Agora, as mulheres iranianas estão utilizando as redes sociais para dar visibilidade ao assunto, adicionando a hashtag #IranianWomenLoveCycling.


(Foto do Facebook/My Stealthy Freedom)
"Eu ouvi pessoas dizendo coisas desagradáveis sobre mim pedalando"


(Foto do Facebook/My Stealthy Freedom)
"É nosso direito absoluto e nós não vamos desistir."


Campanha das mulheres

O vídeo de uma mãe e filha pedalando no Irã, filmado por elas mesmas, teve 98.000 visualizações desde que foi publicado na página do Facebook “My Stealthy Freedom”, na última segunda-feira (19/09/2016).

A fundadora da campanha, Masih Alinejad, que vive em Nova York, disse: "Elas me disseram que não vão desistir porque elas acham que andar de bicicleta é seu direito absoluto.”

"É inaceitável, em 2016, você ouvir que um grupo de ciclistas do sexo feminino foi preso no Irã pelo crime de andar de bicicleta em um lugar público, e que teve que assinar um compromisso prometendo que não irá mais pedalar em público novamente.”

"Eu chamei as mulheres, através de minha conta do Instagram, para compartilhar sua reação e recebi muitas fotos e vídeos de mulheres de bicicleta."

"Recebi mensagens de dentro do Irã de mulheres que estão chocados e querem protestar."


(Foto do Instagram/My Stealthy Freedom)

Em outro vídeo, uma ciclista do sexo feminino conta que alguns homens haviam dito algumas "coisas desagradáveis" quando ela passou por eles.

Alinejad disse: "A atividade não tem uma penalidade definida no código legal do Irã, mas as leis de modéstia são usados contra as mulheres que se deslocam em público.

"As mulheres no Irã querem ser ativas na sociedade -, mas, para os clérigos, é uma grande ameaça, porque, aos olhos deles, mulheres não devem ser vistas ou ouvidas, mas sim presas na cozinha.”

"É nosso direito básico andar de bicicleta livremente.

"Acredito firmemente que esses atos trarão a mudança.


(Foto do Instagram/My Stealthy Freedom)

"As mulheres são as principais agentes de mudança e, assim como elas impulsionam para a igualdade, vemos o impulso maior de volta da República Islâmica do Irã.”

"A luta pela igualdade é um processo histórico, e da mesma maneira que as mulheres da Europa e dos EUA conseguiram assegurar os seus direitos, assim também farão as mulheres no Irã."

Por Andree Massiah UGC & Social News team (BBC, 21/09/2016).
Traduzido por Helena Moysés

Nenhum comentário:

Postar um comentário