TRADUTOR/TRANSLATE

terça-feira, 13 de setembro de 2016

O Véu Sob a Perspectiva das Feministas Islâmicas

(Hijab, uma palavra que nunca foi utilizada no Alcorão como código de vestimenta ou véu. Estamos usando apenas pela força do hábito. O Alcorão quando lida com a cobertura -da nudez- da mulher utiliza palavras com manta ou vestes)

Todo mundo já sabe que o hijab é imposto, através de leis e da truculência, em alguns países de maioria muçulmana, e mesmo pela força da tradição em outros onde o uso não é obrigatório, isso não é novidade para ninguém. Mas, o que a maioria das pessoas não sabe é que, mesmo em países do ocidente, o hijab também é uma imposição. Eu, como muçulmana convertida há 5 anos, já falei muitas vezes sobre esse assunto, tanto aqui no blogue quanto na nossa página do facebook, mas as muçulmanas do Brasil estão recusando um debate sério sobre a questão. O que mais fazem é excluir e atacar as feministas islâmicas com agressões e piadas, ou dizer que não praticamos a sororidade por não sermos coniventes com a mentirosa "cultura do hijab".  


MULHER COMPARADA À CARNE EXPOSTA

Desde que me converti, a questão do hijab sempre foi a pauta mais levantada e mais discutida entre os muçulmanos. Desde o início de sua conversão, toda mulher é informada, inclusive pela mesquita onde fez a shahada, de que o véu é uma obrigação que toda muçulmana deve carregar. Páginas muçulmanas insistentemente discutem sobre a questão do hijab e postam coisas do tipo como: "mulheres muçulmanas são como pérolas e devem ficar protegidas por seus hijabs", "mulheres sem hijab são como carnes expostas, se o cão ataca a carne exposta, a culpa não é do cão", dentre outras dezenas de absurdos! 


A MANEIRA CORRETA DE USAR O HIJAB INCLUI NÃO DEIXAR NEM UM POUCO DO CABELO À MOSTRA

Vamos com calma agora. E toda aquela história do hijab libertador, do hijab como uma escolha? Muitos perguntam e a resposta é: Isso simplesmente não existe! Escolhas são feitas entre duas ou mais opções distintas, não há escolha se existe apenas uma opção. Os estudiosos muçulmanos dizem que toda mulher muçulmana é responsável por controlar a libido do homem, então, "não podemos" usar roupas tentadoras. Isto é semelhante à cultura do estupro, na qual a vítima é responsável pela agressão que sofre e toda a culpa é tirada do agressor, "ela pediu, pois estava usando roupas provocantes", "ela pediu, pois não deveria estar em certos lugares" ... Você consegue encontrar algo que dignifique a mulher em uma posição como essa?


A MANEIRA ERRADA E CORRETA DE SE VESTIR
   
Mulheres muçulmanas também dizem que o hijab as liberta da opressão da moda. Aí está outra mentira. O que mais tenho notado é muçulmana maquiada e produzida, usando roupas da moda além do hijab, e com coleções de hijabs, um para cada dia do ano. Deem uma olhada pelo google e vejam por si mesmas/os. 
"Em 2013, os muçulmanos gastaram na Europa cerca de US$266 bilhões com vestuário em marcas como a Uniqlo e a Dolce & Gabbana, e a cifra poderá atingir US$484 bilhões até 2019." 

Muçulmanas em hijab também se preocupam com a beleza e com questões da moda, existem várias páginas no facebook sobre isso - vários canais no youtube também. Eu não me importo, nem dou a mínima para quem gosta de se cuidar e usar maquiagem, só não diga que o hijab tirou isso de você, porque não tirou, apenas acrescentou. Fora o lucro das empresas de lenço que empurram o hijab como um sexto pilar do islã.


MANEIRA CORRETA E ERRADA DE SE VESTIR

O que os muçulmanos não vão te falar também é que existem milhares de muçulmanas sendo perseguidas e excluídas do maior grupo, ou por não usarem o hijab ou por usá-lo inapropriadamente. No ocidente, também a polícia da moralidade, pessoas que vão inbox ou que jogam indiretas pelas redes sociais dizendo a maneira correta de uma muçulmana se vestir. Muitos vão tão longe que chegam a dizer que não podemos ter fotos pessoais nas redes. Acreditem em mim, eu mesma já postei indiretas como essa. Quantas vezes já vi muçulmanas/os escrevendo que mulheres em hijab têm mais fé do que as que não usam? Eles falam: "Deus prescreveu, então, se você não usa ou você não é uma boa muçulmana ou não tem uma boa fé", "eu (escolhi) acreditar, foi um (opção)", vejam bem, as que não usam não acreditam em Deus e em sua prescrição, então, não são muçulmanas?  


CAMPANHA: MENOS É MAIS. NÃO PODEMOS USAR MAQUIAGEM

Agora, por que as muçulmanas estão usando o hijab? Primeiro, não existe a escolha para a grande maioria. Segundo, iguala-se à cultura do estupro disfarçado de proteção. Terceiro, e ainda mais importante, não existe tal regra no Alcorão (leiam todos os versículos torcidos pelos estudiosos e confiram). Quarto, o hijab não as liberta da moda, apenas acrescenta mais uma acessório à moda que elas já acompanham. 



Quinto, mulheres muçulmanas estão expostas à agressão nas ruas por causa do hijab. Os homens muçulmanos não precisam carregar símbolos religiosos como nós, por quê?



Sexto, o hijab não protege a mulher dos olhares masculinos, ele, pelo contrário, atrai mais ainda a atenção das pessoas por sua beleza e mistério (cara, isso não é modéstia). Sétimo, o hijab NÃO pode livrar as mulheres da luxúria ou do assédio, muçulmanas em burca também são estupradas/assediadas. Oitavo, hijabs não têm super poderes. Nono, existem muçulmanAs perdendo emprego, elas acham que resistindo a empresas que não aceitam o hijab estão fazendo um sacrifício por Deus, WTH! Décimo, muitas muçulmanas falam da islamofobia que sofrem porque são facilmente reconhecidas em suas roupas ((árabes)), reclamam da proibição do burkini e do niqab em alguns países, reclamam da falta de sororidade de outras mulheres - sororidade é a palavra que mais tenho escutado ultimamente - mas por que essas mesmas muçulmanas não têm a tão dita sororidade pelas outras milhares de irmãs que são presas todos os anos por não usarem o hijab? Muçulmanas no Irã precisam cortar os cabelos bem curto e se vestirem de homem para conseguirem andar livremente pelas ruas. 
"Em uma série de incidentes controversos, mulheres chechenas, cujas roupas violam o código de vestimenta islâmico, estão sendo alvejadas com armas de paintball em ataques realizados por militantes com a aprovação de altos funcionários chechenos. Os ativistas dirigem nos arredores de Grozny e quando avistam mulheres jovens sem um lenço ou vestindo uma saia curta, dispararam contra elas das janelas de seus carros." 
Hipocrisia? Indignação seletiva? Décimo primeiro, elas realmente se acham melhores do que as outras mulheres. Onde está a tão falada sororidade aqui? 


"Você está mentindo"

Muitas que usam e defendem o uso do hijab, fazem isso justamente por não quererem dar o braço a torcer. Eu entendo, é difícil aceitar que foram enganadas por estudiosos por tanto tempo.


DIZENDO PARA AS MUÇULMANAS CORRIGIREM SEUS HIJABS E USAREM COMO NA PRIMEIRA FIGURA

Eu, como uma das fundadoras e membro do Movimento Luísa Mahin, que foi criado justamente para lutar pelos direitos das feministas islâmicas do Brasil, tenho minha própria voz, e não quero que outras pessoas digam o que o hijab representa ou não para as feministas islâmicas e para tantas outras mulheres que sofrem ou já sofreram pelo uso do véu. Não tire meu direito, e não fale por mim se você não conhece nossa luta e sofrimento até então.


A MANEIRA CORRETA E ERRADA DO HIJAB

Um recado para as/os muçulmanas/os do Brasil: não adianta nos excluir, agredir, dizer que somos desviadas, não muçulmanas, que somos burras, que não temos conhecimento da língua árabe, fazer piadas com nossos nomes, caluniar-nos pelas costas, ameaçar, fazer campanha para denunciar meu perfil particular, o perfil da página e posts, alertar outras irmãs para que não nos ouçam, defender outras irmãs que usam palavras de baixo calão contra nós, nunca nos ouvir e ir à página apenas para espalhar discórdia ou defender casamento infantil, apedrejamento e espalhar ódio contra os homossexuais (foram os posts mais comentados), não adianta defender sheikhs salafistas e misóginos, não adianta bloquear meu perfil das páginas islâmicas do Brasil, me expulsar de grupos de discussão, dizer que vai me processar, dizer que estou querendo impor minha vontade sobre vocês (COISA QUE NUNCA FIZ) e, o que acho mais chato, vir me elogiar inbox e depois compartilhar e curtir coisas que vão contra a minha pessoa ou aos meus ideais. Odeio gente duas caras ou que vive em cima do muro. Não adianta vir com hipocrisia para cima de mim! Dizer que sou fake e que não sou feminista de verdade, dizer que nossa página não é islâmica, ou dizer que eu não uso hijab, por isso quero impor às outras a mesma coisa (eu usava NIQAB, rsrs, tirei porque descobri que é um erro) e ainda achar que vocês são as vítimas quando a agredida for eu. Vou/vamos continuar falando, vocês não vão me/nos calar. Viemos com tudo. Sou/somos feminista(s), isto não quer dizer que vou passar a mão na cabeça de quem não tem razão ou educação. 





(Muçulmanos - em sua maioria - propagam um islã distorcido, preconceituoso e misógino, aí quando aparece alguém dizendo que o islã pode ser melhor do que o que eles fazem parecer, eles acham ruim, ou mesmo quando uma pessoa mostra a cara do islã distorcido, quando mostra como ele realmente é, dizem que as pessoas são islamofóbicas. Não caiam nessa!)



"O hijab não é uma escolha totalmente consciente, não pode ser." Yasmim.


                                              "Plástica por baixo da burca"


Abaixo alguns prints retirados de páginas islâmicas e entrevistas
(Se não estiver conseguindo enxergar, basta clicar para ampliar a imagem)
























AQUI FOI UMA RESPOSTA A MEU POSICIONAMENTO SOBRE O HIJAB




"besteira..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário