TRADUTOR/TRANSLATE

sábado, 17 de dezembro de 2016

#Síria #Aleppo

(Na minha opinião todas as ditaduras e teocracias devem cair)

Para quem não está entendendo o que está acontecendo na Síria, eu vou fazer um resumão (tentar).
A guerra civil na Síria começou em 2011 como uma série de grandes protestos populares influenciados por outros protestos que já estavam ocorrendo em outros países árabes. O povo estava querendo mais liberdade, direitos humanos, uma nova legislação, uma liderança mais democrática no país ... etecetera etecetera. Em resposta aos protestos o ditador Assad (que herdou o "trono" de seu pai que foi ditador da Síria por 30 anos) mandou o exército acabar com a bagunça, o que resultou em centenas de mortes de civis, prisões ... O povo indignado com o ocorrido se juntou com alguns desertores do exército (que não gostaram nada do que o exército tinha feito) e formaram um grupo armado chamado Exército Livre Sírio em 2011 (grupos opositores já existiam desde de 2005). Aproveitando a bagunça, que já não tava pouca, um grupo chamado Estado Islâmico (que de islâmico não tem nada) resolveu entrar na guerra (2013) << estes que começaram ao lado da oposição agora ataca tanto os opositores do governo, como o governo, o Iraque e até os curdos (que também entraram na guerra para defenderem o seu território que já é mínimo), impondo a "sharia" e cometendo atos cruéis e horrendos que todo mundo aqui já testemunhou alguma foto rolando por aí. O povo começou a ficar com medo e assim formar alianças. O Assad (que com certeza já tinha superioridade bélica e numérica) tem ajuda militar do Irã, Hezbollah (Líbia), xiitas do Iraque, e Rússia. o Ei provavelmente da Arábia Maldita e Israel. Todos os lados estão cometendo abusos, inclusive o lado do Assad (mortes, prisões, estupros) apesar de negarem, mas com certeza o EI ganha.
O país estava sob estado de exceção de 1963 até 2011, o que dava as forças de segurança a autoridade de prender qualquer um que quisessem sem declarar um motivo. O Assad até disse que iria reformar, devido às revoltas que já estavam ocorrendo em outros países árabes (medo), mas estava demorando demais e tudo ficou só no falar ... Outro grupo que é contra o Assad é o CNS (Este grupo é constituído por socialistas, marxistas e partidos curdos e é liderado por Hassan Abdul-Azim) "Os Conselhos Locais de Coordenação na Síria, fundado em agosto de 2011, argumentam que os rebeldes estão em toda a Síria e que se recusam a 'intervenção estrangeira e ao sectarismo" e dizem não à violência'".
"Uma pesquisa feita pela You Gov Siraj na Síria, encomendada pelo The Doha Debates, financiada pela Fundação Catar, chegou a conclusão que 55% do povo sírio queria a permanência de Assad no poder por medo de uma guerra civil ou de uma intervenção militar estrangeira no país. Porém, uma porcentagem similar da população demonstrou-se favorável a permanência do presidente no poder desde que ele convocasse eleições livres para o seu cargo. O governo então prometeu eleições, mas a transparência destas foi questionada pelas potências ocidentais e ativistas fora do país."
Daí pra diante, mais manifestações, mais matança, leis sendo mudadas (pra passar mel na boca do povo). O povo continua insatisfeito, mais mortes, mais confusão, tiroteios, bombardeios. O governo dizendo que estava lutando contra terroristas e não sufocando protestos ...execuções em massa (sendo perpetradas também pelo regime de Assad), centenas de milhares fugindo do país, greves em grandes cidades, general da guarda renuncia, embaixador sírio no Iraque diz estar ao lado da oposição ... Um parente de Assad, da força área, também muda para o lado da oposição. Militantes islâmicos lutam contra a oposição. Gás venenoso sendo lançado em civis. Grupo opositores se dividindo cada vez mais por causa das desavenças (uns são seculares e moderados, outros são extremistas) em 2013 já existem dezenas de facções rebeldes encabeçadas pelo E.L.S, F.I., J.aN., e grupos ligados a al-Qaeda. Rebeldes acusam os islamistas de brutalidade, e há guerra entre opositores. O governo aproveita a guerra entre a oposição para aumentar bombardeios. Jihadistas, governo e rebeldes continuam uma luta sangrenta porém, O EI já está dominando mais da metade do território Sírio, matando, estuprando, degolando ...

Abaixo os grupos que lutam e apoiam a guerra Síria (há outros além desses)





Nenhum comentário:

Postar um comentário