TRADUTOR/TRANSLATE

sábado, 28 de janeiro de 2017

Dia do "Hijab": Não há tal coisa como uma feminista que apóie o "hijab"


1-O hijab é contrário aos valores seculares e à libertação das mulheres, dada a sua significação sexista.

2-A maioria das muçulmanas, que sofrem pelo uso do véu, sofrem nas mãos dos próprios muçulmanos. (Aprisionadas, multadas, assassinadas pelos crimes de "honra", perseguidas, ofendidas, humilhadas ... mesmo no ocidente)

3-Campanhas como Dia Mundial Do Hijab (Sua criadora é dona de uma empresa de lenços) ou Use o Hijab Por Um Dia, são financiadas e apoiadas por grupos muçulmanos fundamentalistas - como o MSA, criado pela Irmandade Muçulmana - que querem espalhar o islã político ou islamismo no ocidente (assim como ocorre nas teocracias ditatoriais dos países de maioria muçulmana) 

4-Os apoiadores adotam linguagens baseadas no feminismo e direitos humanos na mídia ocidental, mas o que está por trás é apenas a inferiorização/subjugação da mulher, visto que as mulheres usam o hijab (que não significa véu) como uma forma de não tentar o homem com suas formas ou beleza, eliminando, assim, a responsabilidade dos homens sobre o assédio. 



5-A ideia do hijab representa os homens como maníacos sexuais e mulheres como objetos sexuais, vítimas potenciais de agressões sexuais tendo como uma única opção, cobrir o corpo todo e cabelo para não sofrerem perseguição. Está também ligado à ideia de "awrah" - nudez-, sendo assim, está proibido mostrar muitas partes do corpo, o que leva a limitar a presença das mulheres no espaço público. Todas essas ideias medievais sobre mulheres tornam-se a base da noção do hijab compulsório para governos fundamentalistas como o do Irã, Arábia Saudita ou os bárbaros do Estado Islâmico.

6-Os muçulmanos usam essa tática para se oporem aos valores fundamentais do secularismo e distinguir sua comunidade dentro das sociedades ocidentais. Como prova a história, ideologias masculinas, como a religião, sempre tentam ganhar seu poder através da instrumentalização das mulheres.

7-O hijab - transformado em lei em muitos países - limita a liberdade de milhões de mulheres e leva ao seu abuso. Portanto, os argumentos ingênuos dos defensores do islamismo político ou das muçulmanas feministas (não feministas islâmicas), como eles se denominam; sobre o hijab ser uma roupa como qualquer outro tipo de roupa que a mulher pode optar por usar, é hipócrita. Além disso, é um crime moral alegar que o hijab é uma "escolha" ou "liberdade" para as mulheres muçulmanas, quando milhões de mulheres são forçadas a seguir o código de conduta do hijab em muitos países e comunidades até hoje.



8-Todo mundo é livre para ter ideias conservadoras e podem até aplicá-las em sua vida privada por escolha (usar um lenço, por exemplo) e qualquer pessoa é livre para expressar seu apoio à dominação masculina sobre as mulheres. Mas não chamem isso de liberdade, e não o disfarcem como feminismo. Feministas podem ter crenças religiosas, mas o feminismo não pode ser religioso. (não acredito que os profetas trouxeram qualquer religião institucionalizada)

9-Muitas mulheres, no Irã, Egito, Arábia Saudita, Paquistão e em outros países, com suas lutas constantes contra a moral religiosa imposta em relação a seus corpos, provaram que o hijab não é uma escolha ou uma vestimenta feminista. Seus trabalhos corajosos também podem lembrar ao mundo que o hijab não é "cultural", para o mundo muçulmano - é político. (O véu não esteve sempre presente nos países de maioria muçulmana. Em governos mais liberais foi retirado e proibido, em governos mais "islamizados" foi imposto com rigor - Em 1919, as mulheres egípcias tomaram as ruas exigindo o direito ao voto, elas tiraram o véu como um sinal de auto-libertação. Mais tarde, em 1956, o presidente Gamal Abdel Nasser ridicularizou publicamente a Irmandade Muçulmana por pressioná-lo a impor um hijab - e os espectadores riram porque não entenderam o que a Irmandade queria dizer com hijab - nas mulheres. A partir de 1996, o Talibã assumiu o poder no Afeganistão forçando as mulheres a se cobrirem, o que a maioria nunca tinha feito até então. No Irã, foi somente depois da revolução de 1979 que o regime islâmico tornou a cobertura da cabeça obrigatória para as mulheres e limitou muitos outros aspectos de suas vidas. Desde então, muitos têm feito campanhas contra a ditadura de regimes religiosos que torturam o corpo das mulheres e suas liberdades. Em 2008, as mulheres iemenitas lançaram uma campanha "Take Off The Veil" em 8 de março de 2008, para coincidir com o Dia Internacional da Mulher. Elas chamaram o hijab de "terrorismo intelectual praticado por grupos individuais e islâmicos". Em 2014, a escritora iraniana Masih Alinejad lançou o "My Stealthy Freedom" (Minha Liberdade Furtiva) para se opor à lei teocrática no Irã sobre o véu obrigatório, que hoje tem cerca de um milhão de apoiantes. A jornalista e ativista muçulmana indiana Asra Q. Nomani escreveu em sua coluna para o Washington Post: "Não use um lenço em "solidariedade" à ideologia que mais nos silencia, igualando nossos corpos com "honra". Em vez disso, esteja conosco contra a ideologia do islamismo que exige o uso do véu".)


Mulheres iranianas, há 4 décadas, lutando contra o véu compulsório 

Masih Alinejad

10-(Não existe a diretiva para cobrir os cabelos no Alcorão. Nós, feministas islâmicas do Brasil, não apoiamos a cultura do hijab.

11-(Muçulmanas e muçulmanos no Brasil estão tentando calar vozes opositoras.)




"O incrível trabalho de mulheres e homens, que se opõem às regras teocráticas religiosas, inspira e fortalece valores laicistas que separam a vida pública da sociedade da religião. E, portanto, proíbe a manifestação de vários símbolos religiosos nas escolas e algumas instituições públicas, isso inclui o lenço. Muitas vezes percebida como opressiva pelos defensores religiosos, a prática secular francesa de proibir todos os símbolos religiosos nas escolas públicas (embora eu seja cética em relação a qualquer proibição), tem, em última instância, um efeito positivo na integração dos recém-chegados e geralmente cria uma atmosfera de igualdade que nós todos procuramos. 
No entanto, a recente declaração feita pelo primeiro-ministro Manuel Valls, de que o hijab deve ser proibido também nas universidades, era desajeitada e errada por natureza. Não devemos iniciar uma guerra contra o hijab, mas sim aplicar regras seculares razoáveis para liberar o espaço público de qualquer símbolo religioso. 
Manifestações de símbolos religiosos na esfera pública estão dividindo a sociedade através das diferentes demandas de identidades e das reivindicações de pertencer a uma determinada comunidade. Desta forma, criamos mais minorias em nossa sociedade que, por definição, destrói a ideia de que todos somos iguais. Nossas identidades religiosas e étnicas são destinadas a nos dividir, e isso só leva, a nossa luta por uma sociedade igualitária, para mais longe de alcançar seus objetivos." 

Adaptação do Texto Hijab Day: There's no such thing as a feminist who supports the hijab
Traduzido por Pollyanna Meira

19 comentários:

  1. Capítulo 33. Versículo 1
    Ó Profeta, teme a Deus e não obedeças aos incrédulos (deixa-os com as suas Leis), nem aos hipócritas (que se disfarçam de muçulmanos). Fica sabendo que Deus é Sapiente, Prudentíssimo.

    ““E aqueles que molestarem os fiéis e as fiéis (por exemplo disser que o véu é sexismo) imerecidamente, serão culpados de uma falsa imputação e de um delito flagrante.””
    Capítulo 33. Versículo 60


    ““ Ó Profeta, dize a tuas esposas, tuas filhas e às mulheres dos fiéis que (quando saírem) se cubram com as suas mantas (Véu para hoje);
    isso é mais conveniente, para que distingam das demais ( Renegadoras da fé, hipócritas, ateias etc) e não sejam molestadas; sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo””
    Capítulo 33. Versículo 61


    “Nunca acharás mudanças (não há espaço para revogação) na Lei de Deus!”
    Capítulo 33 Versículo 64

    ResponderExcluir
  2. "Dize às fiéis que recatem os seus olhares, e guardem suas ((partes privadas)). Que não mostrem seus ‘zinatahhunna’, além do que (normalmente) aparece; que ((cubram o colo)) com seus ‘khumurihhinna’ e não mostrem os ((seus atrativos)), a não ser aos seus esposos, seus pais, seus sogros, seus filhos, seus enteados, seus irmãos, seus sobrinhos, às mulheres suas servas, ((seus criados isentos das necessidades sexuais)), ou às crianças que não discernem a ((nudez)) das mulheres; que não agitem os seus pés, para que não chamem à atenção sobre seus ((atrativos ocultos)). Ó fiéis, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis!" 24:31

    E

    "Ó Profeta, dize a tuas esposas, tuas filhas e às mulheres dos fiéis que (quando saírem) 'yudnina alayhinna min jalabibihinna'; isso é mais conveniente, para que se distingam das demais e não sejam incomodadas; sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo." 33:59 "Jalabibihinna" significa, literalmente, suas vestes, "Yudina" significa, literalmente, trazer para mais perto ou baixar algo, neste caso, um traje.

    Palavras como "hijab" e "véu" não aparecem nos versículos, mas "khumurihhinna", que é uma manta utilizada para cobrir homens e mulheres mesmo antes do advento do islã, e "Jalabibihinna", que significa vestes.

    Em momento algum o Alcorão estipula algum tipo de roupa em especial ou mesmo a cobertura dos cabelos, da face ou corpo todo, palavras como "ra's" cabeça e "shar'r" cabelo não existem, mas (((atrativos ocultos, colo/seios, nudez))) são palavras que estão explícitas e é o que Deus espera que as mulheres muçulmanas cubram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ó filhos de Adão, enviamos-vos vestimentas, tanto para dissimulardes ((vossas vergonhas)), como para o vosso aparato; porém, a roupa da retidão - é a melhor. Isso é um dos sinais de Deus, para que meditem." 7:26

      Excluir
  3. Que é quer dizer???

    Se não sabemos, por enquanto as mulher devem cubrirem-se de tal maneira, que haja difrença entre elas e as RENEGADORAS. Parece que o Véu é a única opção! Use!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. retidão
      substantivo feminino
      1.
      qualidade, característica, atributo do que é reto.
      "predomina a r. na arquitetura moderna"
      2.
      p.metf. fig. virtude de seguir, sem desvios, a direção indicada pelo senso de justiça, pela equidade; virtude de estar em conformidade com a razão, com o dever; integridade, lisura, probidade.
      "a r. de seu caráter"

      Retidão é o que está dentro, como você age.
      Os versículos falam para cobrir a nudez, não existe véu em nenhum lugar do Alcorão

      Excluir
    2. Egidio vc é o tipo de escoria que nunca deveria se aproximar de uma mulher!

      Excluir
  4. No comentário incluo várias idéias...
    Como de hábito você continua responder restrictamente algumas delas!
    Eu disse
    que é “roupa de retidão”
    Você apenas deu o significado solto de retidão!
    Mas agora que é «roupa de retidão»? ((Como fica?))
    Posso saber o significado de feminismo e o significado de islam, mas não saber o que é “feminismo Islâmico”.
    Eu disse
    as mulhere cubrirem-se de tal maneira, que haja difrença entre elas e as RENEGADORAS.
    → Qual foi a resposta?
    Eu disse
    Parece que o Véu é a única opção!
    →E agora qual foi a sua opinião?
    Andar cobrta de manta, ou o que foi bem simplificando pelo véu (assim havendo difrença com as outras mulheres)?
    Você repete que o véu não existe no ALCORÃO!
    Gostaria de ver você na rua coberta de manta! Por que qualquer coisa fora disso, você me dará a oportunidade de disser que isso não aparece no ALCORÃO!
    Alias você disse:
    “...é uma manta utilizada para cobrir homens e mulheres mesmo antes do advento do islã”
    Por acaso “Allah” estáva ordenar algo que eles já vinham praticando?
    Então confessa para mim uma vez por todas que elas aindavam nuas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe uma roupa da retidão (está em sentido figurado) o que Allah quer dizer é que devemos ser pessoas íntegras (pessoas íntegras e puras não precisam de roupas, assim como sempre foi em comunidades indígenas, onde não há maldade em relação à nudez) Manta não significa véu, os árabes >do deserto< usavam mantas para se protegerem do sol e poeira, os seios das mulheres geralmente ficavam à mostra, não é a toa que Deus ordena que se puxe o >khimar< sobre o colo e que escondam a nudez. Não precisamos nos cobrir com mantas árabes pois, hoje temos roupas como vestidos, calças, saias, blusas etc .... tudo isso cobre a nudez.

      Excluir

  5. Se você ler meus comentários, verá que evitou várias ideias. Mas continua assim, pós, não estamos no tribunal - sua inocente você tem uma rica razão de somente responder o quer!

    “Não precisamos nos cobrir com mantas árabes”

    (Pois também, nos difrenciariam significativamente das outras mulheres?)

    “calças, saias, vestidas, blusas...tudo isso cobre inudez”

    (Mas infelizmente não lhe difrencia das outras mulheres)

    Então não parece mesmo que o véu é a única opção minha inteligente senhora?

    “calças, saias, vestidas, blusas...tudo isso cobre inudez”

    Vale lembrar que o véu (também é roupa) e é o mais excelente para isso, pois, não só cobre facilmente e integralmente a inudez...mas vos difrencia significativamente das RENEGADORAS!!!

    Não valeu apena não incuí-lo!




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi??? Roupas só nos diferenciam de outras mulheres externamente. Já vi muitas muçulmanas veladas aprontando horrores ... O que nos diferencia das RENEGADORAS é o que vai dentro, nossa fé, atitudes perante a vida e outras pessoas, roupas não fazem um bom caráter e não comprova quem realmente crê ou não.

      Os fiéis, os judeus, os cristãos, e os sabeus, enfim todos os que crêem em Deus, no Dia do Juízo Final, e praticam o bem, receberão a sua recompensa do seu Senhor e não serão presas do temor, nem se atribularão. S. 2:62

      Os fiéis, os judeus, os sabeus e os cristãos, que crêem em Deus, no Dia do Juízo Final e praticam o bem, não serão presas do temor, nem se atribularão. S. 5:69

      Não ande por aí chamando pessoas de renegadoras da fé só porque não se vestem com roupas árabes pois, TODOS QUE PRATICAM O BEM TERÃO SUAS RECOMPENSAS, INDEPENDENTE DE SUAS FÉS.

      Excluir
    2. tinha que cuidar da sua vida e deixa a vida das mulheres! se vc tiver uma namorada um dia mostra pra ela o quão vc é retrogrado machista homofóbico e o principal esquizofrênico fanático e burro!

      Excluir
  6. Quem me garante que esses versículos você não descontextualizou? ((Estão fora do contexto))

    O resto concordo consigo!

    ResponderExcluir
  7. o feminismo luta contra pessoas como esse fanático religioso! são perigosos e são escoria e sempre vão ser, estupradores nato que se escondem atras da religião !escrotasso!

    ResponderExcluir
  8. Egidio vc é o tipo de escoria que nunca deveria se aproximar de uma mulher!”


    ((( você chamou-me de escória, sem nem pelo menos tentar contra-argumentar as minhas ideias “ fanáticas ”!

    Em todos os seus comentários, só vejo insultos - ofensas sem nem ao menos deixar claro o porque de toda essa agressão e rannncor para mim! Acha que isso resolve alguma coisa?)))

    ResponderExcluir

  9. “tinha que cuidar da sua vida”
    (cuido!)

    “e deixa a vida das mulheres”

    (0 - Que mulher você refere?
    Descendentes de adão (verdadeiras muçulmanas), ou descendentes de animais irracionais = macacos = hipócritas?
    1-Você diz isto na qualidade de quem?
    2- Ou, é você quem deve dizer isto, ou são elas?

    3- E se eu dissesse as “feministas” também:
    «deixem em paz as nossas irmãs dispostas para usar véu!»
    Que você iria dizer??
    Então, enquanto elas não deixarem de emporcalhar o islam e defamar as irmãs muçulmanas, eu não deixo!))

    ResponderExcluir
  10. “o fem... luta contra.. fanático religioso! são perigosos e são escoria e sempre vão ser, →estupradores← nato que se escondem atras...escrotasso!”


    (((Você já léu bem esse texto e tanto os meus comentários?? [Não falei e nem defendi estupros!!]


    Geralmente os estupradores não gostariam ver as (lindas) mulheres vestidas de véu, pós, isso diminui significativamente a apetite deles em crer estupra-las!
    = NÓS HOMENS SOMOS TESTEMUNHAS SUFICIENTES DISSO!!! ...

    Aliás, é uma perca de “time” em ter que desmontar todo véu e toda roupa hijabina a uma «mué» só para estupra-la...
    enquanto existem aquelAS

    (semelhantes de prostitutAS)

    que andam nuAS

    como se fossem “galinhAS...

    sem penAS!”

    estando para serem assadAS!))

    “TIME IS MONEY”)))

    ResponderExcluir
  11. RESPONDENDO APENAS UMA OFENSA:

    Eu sou escória não eh?
    Este seu insulto só terá sentido se você for um indivíduo nobre, excelente, ilustre, insigne, notável, ótimo, aristocrático... e prefeito...!

    Será que é isso que você queria me dizer?

    Meu amado amigo, se realmente é isto que você queria me dizer, então neste ponto, você não têm muita diferença com um cão lambendo seu próprio cu!!!

    ResponderExcluir
  12. Na india fazem estupros coletivos em mulheres cobertas. Minha sogra nasceu no islamismo e nunca usou lenço. Egidiu Mussa é você o inovador e pecador. Se você fosse um defensor da religião não estaria envergonhado nossa religião aqui. Vc sim age como um animal irracional, machista e não está protegendo as irmãs fiéis. O que vc está fazendo é impor sua opnião. Somos milhares de muçulmanas sem lenço pelo mundo e vc se é crente deveria saber que somente Deus é que pode julgar. Não tente ser Deus, pois ele é onipotente.

    ResponderExcluir