TRADUTOR/TRANSLATE

segunda-feira, 12 de junho de 2017

O Jejum, segundo o Alcorão - Parte 1

Texto escrito por Fátima, uma das colaboradoras da página Feminismo Islâmico


>> De fato o Corão prescreve o jejum. Mas não de alimentos.

Eis a tradução que nos é apresentada pelos sunitas a respeito do jejum do Ramadã:


(2:183) Ó vós que credes, foi-vos prescrito o jejum (asshiyaamu), como o foi aos que vos precederam. E possais tornar-vos piedosos!

(2:184) Jejuareis dias contados. Mas quem dentre vós estiver doente ou viajando, que troque esses dias por outros. Aos que não desejam jejuar, mesmo podendo-o, impõe uma compensação: a alimentação de um indigente. Aquele que fizer mais, receberá mais. Contudo, é melhor para vós que jejueis (tasyuumu). Se soubésseis!
(2:185) Foi no mês de Ramadã que o Corão foi revelado, um guia para os homens, com provas manifestas para a orientação e o discernimento. Quem, pois, estiver presente durante esse mês, que jejue (yasyumhu); e quem estiver doente ou viajando, que jejue durante outros dias em substituição. Deus deseja facilitar, não dificultar. E Ele quer que jejueis durante todo o mês e proclameis Sua grandeza pela orientação que d'Ele recebestes. E possais ser agradecidos!
(2:186) E quando Meus servos te interrogarem sobre Mim, dize-lhes que estou perto deles. Respondo ao apelo de quem para Mim apelar. Que eles também respondam a Meu apelo e creiam em Mim. Quiçá encontrem assim a senda da retidão.
(2:187) É-vos lícito aproximar-vos de vossas mulheres nas noites de jejum (asshiyaami). Sois um vestuário para elas, e elas são um vestuário para vós. Deus sabe que vos equivocáveis e fazíeis o que julgáveis proibido, e Ele aceitou vosso arrependimento e vos perdoou. Procurai-as, pois, e aprendei o que Deus prescreveu em vosso favor. E comei e bebei até que comeceis a distinguir, na aurora, a linha branca da linha preta. Depois, jejuai (asshiyaama) até a noite. E não mais deiteis com elas, e permanecei em devoção nas mesquitas. Tais são os limites de Deus. Não os transcendais. Assim Deus manifesta Suas revelações aos homens. Quiçá se tornem piedosos.

A primeira vista, podemos pensar "Ok, está tudo certo, não há mais nada do que dizer", tal como eu mesma fiz ao ler esse trecho nas primeiras vezes. Entretanto, existe uma passagem no Corão a respeito de Maria que fez com que mudasse de visão a respeito:


(19:20) Disse ela: "Como terei um filho quando homem algum me tocou, e nunca deixei de ser casta?"

(19:21) Respondeu: "Assim será. 'É-me fácil', disse teu Senhor. E faremos dele um sinal para os homens e uma misericórdia."
(19:22) E concebeu-o, e retirou-se com ele para um lugar afastado. E as dores do parto surpreenderam-na ao pé de uma tamareira. E disse: "Pudesse ter morrido antes deste dia e ficado uma coisa esquecida."
(19:23) Mas uma voz de baixo dela chamou-a: "Não te aflijas. Teu Senhor colocou um regato a teus pés.
(19:24) Sacode o tronco da tamareira. Cairão sobre ti tâmaras maduras e frescas.
(19:25) Come e bebe e consola-te. E se vires alguma pessoa, dize: 'Dediquei um jejum (syauman) ao Misericordioso e não falarei hoje com ninguém'".

Se Deus prescrevesse jejum de comida e água à ela, não teria dito à Maria para que se alimentasse de tâmaras; muito pelo contrário, seu jejum era de palavras, foi-lhe dito para que não conversasse com as pessoas. Irei substituir algumas palavras-chave pelas palavras originais em árabe para melhor interpretação: "jejum" é escrito como "siyyam" e "comer e beber" como "wa kuli wa ashrabee". 

Em ambos os trechos (sobre o Ramadã e sobre Maria) o termo "siyyam" é utilizado como jejum, assim como "wa kuli wa ashrabee" como "comer e beber". "Jejum" e "não comer e não beber" são coisas diferentes. É muito comum que trechos estejam interligados no Corão, então pode-se considerar que o siyyam de Maria é o mesmo siyyam usado em todos os outros versículos do Alcorão.

Deus faz suas proibições de maneira clara: Ele costuma dizer "está proibido que", "você não deve...", etc., e não está dito claramente que "NÃO PODE comer e NÃO PODE beber". Ele não criaria um estômago para nós, humanos, que necessita de ser alimentado três vezes ao dia para não trazer-nos mal-estar, para logo em seguida proibir-nos de nos alimentar durante horas. Deus não contradiria a si mesmo. Além disso, ele disse-nos que "Deus deseja facilitar, não dificultar"; e é muito difícil e penoso para os humanos jejuar de comida e água (principalmente para pessoas de regiões muito quentes). Ele jamais iria querer prejudicar nossa saúde física.

Os perigos do jejum e dos transtornos alimentares: Os perigos do jejum e dos transtornos alimentares

Para entender o quão deve ser difícil fazer jejum de comida nos períodos frios, leia a seguinte matéria: Por que sentimos mais fome no frio?




Nenhum comentário:

Postar um comentário