TRADUTOR/TRANSLATE

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Adão NUNCA Foi Um Homem

"Deus criou para cada coisa a sua companhia (zaujaha)" Alcorão

A maioria dos muçulmanos, assim como a maioria dos judeus e cristãos, acredita que Adão foi a principal criação de Deus, e que Eva foi criada a partir da costela dele. Embora este MITO esteja enraizado no relato de Yahwist da criação, em Gênesis 2:18-24, essa estória não tem base no Alcorão, que descreve a criação do "homem e da mulher" em termos completamente igualitários.

Nas 30 passagens relativas à criação humana, o Alcorão usa termos genéricos para a humanidade (an-nas, al-insan, bashar), os quais o nome Hawwa' ou Eva não aparecem. A palavra "Adão" ocorre 25 vezes, mas é usada em 21 delas como símbolo da consciência humana (de acordo com essa interpretação). É pertinente ressaltar que a palavra "Adão" é uma palavra hebraica ("adamah" que significa "da terra") e que se refere a humanos e não a uma pessoa do sexo masculino. No Alcorão, a palavra "Adão" (que o árabe tomou emprestado do hebraico) na maioria das vezes não se refere a nenhum humano em particular. (1)

O Alcorão também não diz categoricamente que "Adão" foi o primeiro ser humano criado por deus. O termo é usado frequentemente em referência a mais de um ser humano, como um substantivo coletivo, e também é corroborado pelo fato de que todos os seres humanos são abordados como "filhos de Adão". É importante notar que, embora o termo "Adão" não se refira a um ser humano em particular, a palavra se refere aos seres humanos de uma maneira particular.

Quando se usa os termos "bashar", "al-insam" e "an-nas", o Alcorão descreve o processo de criação física dos seres humanos, quando usa o termo "Adão", refere-se aos seres humanos somente quando eles se tornam representantes de uma humanidade autoconsciente, inteligente e moralmente autônoma.

Mas o Alcorão fala de "Adão e Zauj" nos versículos 2:35, 7:19 e 20:117. Assumindo que os muçulmanos, quase sem exceção, assumem que "Adão" foi o primeiro ser humano criado por Deus e que ele foi um homem, sendo um homem, segue-se que o "zauj" seria uma mulher, ou "Eva" em suas visões, só que nem a suposição inicial nem as inferências tiradas dela, apoiam isso. O Alcorão não afirma que Adão foi o primeiro ser humano ou que ele era um homem. O termo "Adão" é um substantivo masculino, mas gênero linguístico não é sexo. Se "Adão" não foi necessariamente um homem, então "zauj" não foi necessariamente uma mulher. Na verdade, o termo "zauj" também é um substantivo masculino e, ao contrário do termo "Adão", tem um homólogo feminino: "zaujatun". "Zauj" não significa "mulher" ou "marido", nem mesmo "esposo/a", mas "companhia".

"Zauj" é usado em referência não apenas aos seres humanos, mas a todos os tipos de criações, incluindo animais, plantas e frutas. No entanto, o termo "zaujatun", ou o seu plural, não são usados em qualquer parte do Alcorão, que usa consistentemente as formas masculinas "zauj" e "azwaj". Foi apontado pelo dicionário Taj al-'Arus que apenas as pessoas de Hejaz usaram o termo "zauj" em referência a mulheres, e em outros lugares o uso era "zaujatun". Além disso, a terminologia jurídica árabe sempre usa o termo "zaujatun" em referência a mulheres. Por que, então, o Alcorão, que certamente não foi dirigido apenas às pessoas de Hejaz, usa o termo "zauj" e não "zaujatun" se a referência for de fato à alguma mulher? Na minha opinião, a razão pela qual o Alcorão deixa os termos "Adão" e "zauj" deliberadamente pouco claros, não só no que diz respeito ao sexo, mas também no que diz respeito ao número, foi porque o objetivo não era narrar certos eventos da vida de um homem e uma mulher em particular (ou seja, o Adão e a Eva da crença popular) mas experiências de vida de todos os seres humanos, homens e mulheres." (ou de todas as criações de maneira geral)

De modo geral, o Alcorão refere-se à criação da humanidade (e da natureza) de duas maneiras: como um processo evolutivo cujas diversas fases ou estágios são mencionadas às vezes em conjunto e às vezes separadamente, e como um fato realizado ou consumado. Nas passagens em que a criação humana é descrita "concretamente" ou "analiticamente", descobrimos que não é feita menção à criação separada ou distinta de um homem ou uma mulher, como pode ser visto, por exemplo, a partir dos seguintes versículos: 15:26,28,29; 16:4; 22:5; 23:12-14; 25:24; 32:7-9; 36:77; 38:71-72; 39:6; 40:67; 55:3,4,14; 71:14,17; 76:2; 77:20-22; 82:6-8; 86: 5-7; 95:4; 96:1-2. Em algumas passagens (49:13; 53:45; 78:8), embora seja feita referência à criação dos seres humanos com "companheiros" sexualmente diferenciados, nenhuma prioridade ou superioridade é concedida a qualquer homem ou mulher.


Tom Hiddleston, como Adam, e Tilda Swinton em Only Lovers Left Alive.

Há, no entanto, alguns versos que parecem endossar uma versão da história de Gênesis da criação do homem e da mulher. Esses versos podem ser agrupados em duas categorias. Os versículos mais importantes do primeiro grupo são: 16:72; 30:20-21; e 35:11. Os argumentos usados, por aqueles que dizem que as mulheres foram criadas de e para os homens, são apoiados da seguinte forma:

(1) 30:21 usa o termo "ilaiha" para se referir a "companhias" criadas a partir de, e para, da criação original. Uma vez que "ha" é um pronome em particular feminino, as "companhias" a que se refere devem ser femininas (tornando, assim, masculina a primeira criação);

(2) todas os três versos citados usam "kum" como uma forma de tratamento. Assim, estes versículos não são dirigidos a humanidade coletivamente, mas apenas aos homens, uma vez que o termo usado é um pronome masculino (segunda pessoa do plural) Os homens são, portanto, a principal criação de e para quem as "companhias" foram criadas. 

Em relação a (1), "ilaiha" significa literalmente "nela" e não "neles" e não se refere às mulheres (que não são mencionadas aqui), mas a "azwaj" (plural masculino usado no Alcorão para homens e mulheres). Se as "companhias" fossem claramente designadas como mulheres, o termo usado seria "hunna", não "ha". O uso de "ha" aqui é consistente com a regra gramatical árabe que permite o uso de termos femininos singulares para uma classe ou coletividade. O fato de que as criaturas a quem a passagem é endereçada são referidas como "bashar" ainda suporta o argumento de que as "companhias" criadas por Allah não são apenas mulheres (para homens), já que "bashar" obviamente tem referência bissexual.

Em relação ao (2), o árabe permite o uso de "kum" para homens e mulheres. Quando se refere apenas às mulheres, usa-se "kunna". Aqui, é interessante notar, que Muntaz 'Ali em seu livro Haquq-e-Niswan (The Rights of Women,1898), apontou que o Alcorão usa a forma masculina para prescrever funções fundamentais (salat, zakat, jejum) para homens e mulheres muçulmanos. Se os termos masculinos são direcionados e entendidos por toda "ummah" (comunidade) muçulmana aos homens e as mulheres em contextos altamente significativos, como a prescrição de deveres religiosos básicos, não se pode argumentar que esses termos se aplicam invariavelmente e exclusivamente apenas aos homens.

Quanto ao segundo grupo de versículos que são citados para "provar" a prioridade ontológica e "superioridade" do homem, os seguintes são de excepcional importância: 4:1; 7:189; e 39:6. Nestes versículos (como também em 6:99 e 31:28) é feita referência à criação de uma fonte ou ser (nafsin wahidatin) de todos os seres humanos. Os muçulmanos, com praticamente quase nenhuma exceção, acreditam que a única fonte original é um homem chamado Adão. Essa crença levou muitos tradutores do Alcorão a traduzir incorretamente passagens simples. Por exemplo, 4:1, se corretamente traduzido, lê-se da seguinte maneira: "Ó humanos, reverenciem -sua Deusa- que os (plural) criou a partir de um ser (nafsin wahidatin) e da mesma maneira criou a sua companhia (zaujaha) e espalhou a partir desses dois seres muitos homens e mulheres". (não podemos afirmar quem foi criado primeiro, se foi o homem ou a mulher). (2)

Entender a criação de Adão como o princípio da superioridade masculina é um erro grosseiro. Teólogos sérios e comprometidos sabem que Adão é uma palavra hebraica (e não árabe) que significa 'da terra' (de 'adamah'). O termo Adão é um substantivo coletivo e não se refere ao um ser humano do sexo masculino. No Alcorão, o termo "Adão" refere-se, como já dito, em 21 casos de 25, à humanidade. É um termo universal e específico, e seus termos genéricos e universais são usados para definir a criação humana. (ou todas as criações como eu acho correto)

Há também a famosa queda do céu, que muitos têm usado para justificar "teologicamente" a inferioridade das mulheres, alegando que Eva provocou à queda da humanidade do Paraíso. No entanto, o Islã não propaga a ideia da queda como algo que separa a divindade da experiência humana, em vez disso, a expulsão do par do Paraíso abre a possibilidade de a humanidade receber imensamente a misericórdia de Deus e adquirir a salvação moral através do seu próprio comportamento/esforço e moralidade (não teríamos que trabalhar para o Paraíso se já estivéssemos lá!).

Embora a narrativa da expulsão, que está no Alcorão, não sugira a perda da graça divina ou que a mulher tenha desempenhado papel crucial em sua causa, os exegetas muçulmanos pegam, emprestado por atacado, relatos bíblicos para afirmar o papel de Eva na queda e na sua criação através da costela de Adão (através das ahadith). Há também a crença popular de que a menstruação e o parto seriam punições para o pecado de Eva. Tais crenças, portanto, servem para que eles justifiquem seus ideais mesquinhos e patriarcais de que a natureza feminina é pecaminosa, fraca e inferior, mesmo que estas narrativas não estejam no Alcorão ou sejam realmente islâmicas. Mas, mesmo que alguém tome emprestado os relatos bíblicos, estes também estão distorcidos. O Antigo Testamento não prega a ideia do pecado original ou da queda sexual. Os primeiros Hebreus enfatizaram que todos os seres humanos foram criados à imagem de Deus. A afirmação de que Eva foi criada a partir da costela de Adão foi uma distorção posterior. (3)
“Ó muçulmanos! Eu os aviso para serem gentis com as mulheres, porque elas foram criadas de uma costela..." Saheeh Al-Bukhari
Nós não acreditamos que toda a humanidade, que agora se encontra em diferentes partes da Terra, são a progenitura de um primeiro homem, ao contrário, consideramos que Adão não foi o primeiro homem. A humanidade já existia antes dele, como é sugerido pelo próprio Alcorão, quando diz a Adão: "Estou prestes a colocar um califa na Terra". Como califa significa sucessor, é claro que o homem já existia antes de Adão. Portanto, não podemos dizer que os habitantes originais da América, Austrália etc. são a progênie deste último "Adão" ou algum outro "Adão" antes dele. (4)

O Alcorão também esclarece que Adão não foi o único ser criado na Terra, pois toda a humanidade, incluindo Jesus, foi criada de maneira semelhante - ao contrário da Bíblia que menciona Adão como tendo sido criado exclusivamente "a partir do pó". O Alcorão diz: "O exemplo de Jesus, ante Deus, é idêntico ao de Adão, que Ele o criou na Terra, então lhe disse: Seja! e foi." 3:59. Da mesma forma, sobre a criação de todo o homem, o Alcorão diz: "Entre os Seus sinais está o de haver-vos criado na Terra; logo sois seres que se espalham (pelo globo)" 30:20. "Criamos o homem de essência de barro" 23:12. "E Deus vos criou na Terra; então de esperma; depois vos dividiu em pares. E nenhuma fêmea concebe ou gera sem o seu conhecimento. Não se prolonga, nem se abrevia a vida de ninguém, sem que isso esteja registrado no livro, porque isso é fácil a deus." 35:11. "Recorda-te de quando o teu senhor disse aos anjos: Do barro criarei um homem.." 38:71. (do barro ou na Terra/planeta?)

O homem se espalhou por toda a Terra. A árvore evolutiva da raça humana brotou da mesma raiz e se espalhou sob a forma de ramos, sub-ramos e mais outros sub-ramos em diferentes partes do mundo. Após a criação do homem, Deus lhe deu uma forma adequada e forneceu-lhe a orientação adequada (Taha 20:51). Ele, portanto, enviou Seus sucessores (califas) para cada ramo e sub-ramo assim que o homem, como resultado do processo evolutivo, se tornou capaz física, intelectualmente, social e espiritualmente de receber, entender e seguir Sua orientação.

"Adão" são todos os seres criados na Terra (?)


Fontes

(1) Women and Islam: Images and realities por Haideh Moghissi - página 201
(2) Eve and Adam: Jewish, Christian, and Muslim Readings on Genesis and Gender editado por Kristen E. Kvam, Linda S. Schearing,Valarie H. Ziegler - página 467, 468, 459
(3) — Ontological Gender Equality in the Qur’an | Reclaiming Islam
(4) Malfooza'at Vol. 10, Página 426

Tradução Tia Polly

Nenhum comentário:

Postar um comentário